Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Personagem

O casal que encontrou dinheiro no sótão da casa nova — e devolveu

Em 2011, a família decidiu encarar a situação, que seria um dilema moral para muitos, como uma "rara oportunidade" de honestidade

Redação Publicado em 26/06/2022, às 12h28 - Atualizado às 12h32

Montagem mostrando fotografia de Josh Ferrin, e o dinheiro escondido no sótão de sua nova casa - Divulgação/ Josh Ferrin/ Arquivo Pessoal
Montagem mostrando fotografia de Josh Ferrin, e o dinheiro escondido no sótão de sua nova casa - Divulgação/ Josh Ferrin/ Arquivo Pessoal

Em 2011, uma família do estado norte-americano da Utah encontrou um verdadeiro tesouro escondido no sótão da casa que havia acabado de comprar. Mais surpreendente que isso, todavia, foi a atitude que tiveram em seguida, de decidir pelo caminho mais honesto, e procurar pelo antigo proprietário do local. 

Segundo informações repercutidas pela ABC News em maio de 2011, o achado foi feito por Josh Ferrin, que estava explorando o cômodo algumas horas depois de ter oficialmente adquirido o imóvel, e avistou um painel no teto. 

"Pensei que talvez isso pudesse ser um pequeno esconderijo que tivesse sido concluído e meus filhos pudessem ir até lá e brincar", relatou ao veículo. Quando entrou na câmara escondida, contudo, descobriu algo muito mais inusitado: caixas e sacolas contendo dezenas de pilhas de dinheiro

Dilema moral 

Fotografia do dinheiro encontrado / Crédito: Divulgação/ Josh Ferrin/ Arquivo Pessoal

Josh admitiu que, como qualquer um naquela situação, pensou em como o dinheiro poderia ser útil em sua vida. A própria casa nova, por exemplo, precisava passar por uma reforma, algo que aquela quantia podia cobrir. 

Mesmo tendo esses pensamentos, porém, ele esteve determinado desde o início a fazer a coisa certa: 

Você não pode fazer planos para o dinheiro encontrado em uma situação como esta. Não parece certo fazer nada além de devolver. Nunca considerei o dinheiro meu", explicou o pai de família, conforme repercutido pelo DailyMail. 

As notas foram contadas por ele, sua esposa e seu pai, ao que descobriram ter em mãos 40 mil dólares (o que equivaleria cerca de 210 mil reais na cotação atual). 

Houve parentes que contestaram a decisão de devolver a fortuna ao seu dono original, porém o estadunidense se absteve de citar nomes. Ferrin relatou querer aproveitar a situação para reforçar a importância da honestidade para suas crianças. 

Tenho dois meninos e os ensinamos a ser honestos e a fazer o que é certo e eu sabia que este era um momento de aprendizado que nunca mais voltaria", concluiu. 

Fazendo a coisa certa

Em seguida, Josh iniciou uma busca pelo antigo proprietário da casa. Ele descobriu tratar-se de um homem chamado Arnold Bangerter, que havia morado no local até novembro do ano anterior, quando havia falecido. 

Ele era um pescador com seis filhos já adultos, e passara pelo menos uma década acumulando sua fortuna do sótão, que acabou sendo dividida igualmente entre seus descendentes. 

Fotografia de Arnold em vida / Crédito: Divulgação/ Arquivo Pessoal/ Família de Bangerter

O filho do antigo proprietário, Dennis, afirmou que o tesouro secreto de sua figura patriarcal não era tão surpreendente, uma vez que já teria antes encontrado notas de dinheiro ocultadas no fundo dos móveis daquela residência. 

Ele [Arnold] cresceu em tempos difíceis, e as pessoas que sobreviveram àquela época não tinham nada quando saíram dela, a menos que elas mesmas poupassem. Ele era um poupador, não um gastador", explicou, ainda de acordo com o DailyMail. 

Josh Ferrin, por sua vez, relatou se sentir "sortudo" por ter encontrado a quantia e por ter tido aquela "rara oportunidade de fazer algo extraordinariamente honesto", algo que começaria  com o pé direito o novo capítulo da vida de sua família naquela casa. 

Ele era um pai exemplar e eu também sou pai. Posso entender porque alguém guardaria dinheiro para garantir o futuro da família”, concluiu, conforme informações da AFP.