Matérias » Entretenimento

Prêmio 'Descobertas do ano': Vote na categoria 'Obra de destaque'

Não deixe de participar! Você saberá o resultado em breve

Redação Publicado em 13/07/2021, às 15h44

As obras indicadas
As obras indicadas - Divulgação

Em nosso aniversário de 18 anos, a comemoração tem como objetivo homenagear autores, pesquisadores e estudiosos através do prêmio ‘Descobertas do Ano’.

Através de homenagens e votações realizada nas redes sociais e no site da AH, o veículo que está no mercado editorial desde 2003 reconhece o trabalho de personalidades e obras que, de alguma maneira, ajudaram a desvendar fatos históricos e momentos que marcaram o Brasil e o mundo. 

Na votação de hoje, você escolhe um entre os cinco autores indicados na categoria 'Obra de destaque'. 

Confira os indicados abaixo e registre seu voto no final!

1. Os Dois Mundos de Isabel, por Daniela Arbex 

"Nascida no interior de Minas Gerais, em 1924, Isabel Salomão de Campos é da primeira geração de brasileiros de uma família de imigrantes libaneses. Criada no sertão mineiro, em uma fazenda, a menina mostrou ser diferente desde pequena. Aos 9 anos via e ouvia coisas que não conseguia explicar, benzia pessoas sem acesso a remédios e a cuidados médicos, e, aos 14, conseguiu sozinha a autorização do prefeito de sua cidade para criar uma escola para os filhos dos colonos. A professora seria ela própria. Foi no início da vida adulta que Isabel teve um entendimento mais amplo da sua vocação. Quando descobriu que as tais “coisas” que via desde a infância eram espíritos se comunicando com ela, Isabel deu início a um longo processo de aprendizado no espiritismo, sendo a primeira mulher a erguer publicamente sua voz para falar deste mundo invisível". 

2. Personagens do Terceiro Reich, por Rodrigo Trespach

"Em Personagens do Terceiro Reich ― A história dos principais nomes do nazismo e da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, o historiador Rodrigo Trespach apresenta uma nova abordagem sobre um dos tempos mais sombrios da Alemanha e do mundo a partir da biografia de dezenas de pessoas cujas trajetórias se entrelaçaram para produzir a Segunda Guerra e o Holocausto. Na obra, que conta com o endosso do jornalista e historiador Reinaldo José Lopes e de João Barone, baterista da banda Paralamas e aficionado do tema, o autor mostra quem foram os principais nomes ligados direta ou indiretamente ao Terceiro Reich desde sua ascensão até a derrocada, com a vitória dos Aliados". 

3. Suzane: assassina e manipuladora, por Ulisses Campbell

"Este livro esquadrinha o caminho que a criminosa trilhou desde que foi presa pela primeira vez até o momento em que começou a sair da prisão. Para detalhar a vida da assassina, o repórter Ullisses Campbell realizou dezenas de entrevistas e mergulhou nos emaranhados universos do Direito Penal e da Psicologia Forense. A obra mostra uma Suzane que deseja se casar no religioso, virar pastora evangélica e que nutre um sonho agora revelado."

4. Alegrias e tristezas: estudos sobre a autobiografia de D. Isabel do Brasil, por Bruno da Silva Antunes de Cerqueira e Maria de Fátima Moraes Argon 

"Textos autobiográficos são reunidos às análises de dois especialistas sobre a governante. A regente do Império que sai da pesquisa, encetada pelos dois autores durante os últimos 20 anos, nada tem a ver com a personagem minimizada pela historiografia convencional, assim como se distancia do pálido e eventualmente caricato objeto de culto do abolicionismo monarquista". 

5. Mataram Marielle, por Chico Otávio e Vera Araújo 

"Jornalistas investigativos dedicados ao caso Marielle e Anderson desde o início, Chico Otavio e Vera Araújo mostram como o caso foi determinante para escancarar a atuação do crime na capital fluminense. Repórteres experientes e testemunhas de longa data de várias investigações policiais na capital, Chico e Vera esmiuçaram a rede que movimenta o submundo carioca e seus múltiplos agentes. Traficantes, milicianos, torturadores egressos dos porões da ditadura, ex-policiais altamente treinados assumindo o papel de assassinos de aluguel, bicheiros e as disputas travadas entre eles estão por toda parte e povoam as páginas de Mataram Marielle".