Matérias » Brasil

Quebra-pau de vizinhos: As brigas de condomínios mostradas na TV nos anos 90

Socos entre moradores, acusação de documentos falsos e até infiltração proposital marcaram a reportagem do 'Documento Especial'

Wallacy Ferrari Publicado em 13/03/2022, às 07h00

Cenas do episódio 'Condomínios' do 'Documento Especial'
Cenas do episódio 'Condomínios' do 'Documento Especial' - Divulgação / Comalt

O polêmico programa ‘Documento Especial’, originalmente transmitido pela Rede Manchete, se transferiu para o SBT em 1992 com uma proposta de abordar temas cotidianos a fundo, entrando a fundo em pautas chocantes da sociedade.

De acordo com o canal de acervo do programa, o repórter Eduardo Faustini tentou convencer o diretor do programa, ao longo de um mês, que problemas de condomínio, em um famoso edifício em Copacabana, poderiam cativar o público e se enquadrar neste tipo de tabu social. 

O resultado foi o episódio 'Condomínios', eternizado como um dos mais divertidos e impressionantes da atração, mostrando conflitos bizarros no bairro nobre do Rio de Janeiro.

O episódio se inicia no Edifício Richard, popularmente conhecido como ‘Duzentão’, que ganhou o apelido por ocupar o número 200 da Rua Barata Ribeiro.

A má fama, no entanto, fez o prédio mudar até mesmo seu número, ocupando hoje o 194 — mas marcado pela reportagem.

Anúncio de vendas do 'Duzentão' em 1954 / Crédito: Divulgação / O Globo

Dentro do Duzentão

Em 1954, quando ocupou uma página inteira do jornal O Globo para anunciar sua construção e venda dos apartamentos — que não são poucos, sendo 45 por andar — mal esperava que seria uma das poucas vezes onde o Duzentão não ocupou as páginas policiais. Ele também compôs a artes, inspirando uma peça de teatro e até mesmo um filme, "Um edifício chamado 200", lançado em 1973 com a direção de Carlos Imperial

Sempre embasado nas intrigas que tinham como palco os corredores e os quitinetes do endereço, a reportagem do 'Documento Especial' entrevistou moradores que, incomodados com a má fama, usavam da força da imprensa para denunciar seus principais incômodos, que muitas vezes eram embasados puramente em interesses pessoais. Outros, preferiam se manter calados, tentando não desvalorizar ainda mais o imóvel.

Alguns deles denunciaram o funcionamento de casas de prostituição em um dos apartamentos, reclamando do livre acesso de populares aos corredores do prédio.

Já uma das senhoras denunciou o 'problema' que mais a afetava; um vizinho gay, cujo namorado havia morrido de AIDS e, desde então, a entrada de homens no apartamento ao lado ocasionava em muito barulho e porradaria: “Aonde bicha tem sossego?”, indagou a moradora ao cinegrafista.

Trecho dito por moradora em reportagem sobre condomínios / Crédito: Divulgação / YouTube / Documento Especial

As acusações sobravam até mesmo para o síndico, que tentava justificar o incômodo dos moradores para a reportagem, mas era desmentido pela sub-síndica, que afirmava em frente as câmeras que ele havia assumido o posto com procurações falsificadas.

Na entrada do prédio, um rapaz ainda afirmava que, ao tentar pedir melhorias no prédio, levou um soco no rosto, ostentando a marca próxima ao lábio superior nas imagens.

Problema local

Outros prédios populosos, como o Copan, em São Paulo, e o Edifício Jardim Tropical, em Brasília, tiveram problemas revelados. Entretanto, não muito longe do Duzentão, o edifício Caburé também foi abordado pela reportagem; também na rua Barata Ribeiro, em Copacabana, ele é palco do momento mais acalorado de toda a edição do programa.

Classificado como o “vizinho problema” pela narração, um idoso chamado de “Dr. Arthur" era o motivo de ódio conjunto entre os moradores pelo comportamento longe da cidadania.

Sofrendo de um vazamento em seu apartamento, ele se negou a realizar o conserto, prejudicando apartamentos de até três andares abaixo com infiltrações. Ao ser cobrado pelos condôminos, abusava de termos de baixo calão para ofendê-los.

Com mais de 20 inquéritos abertos por outros moradores, ele já havia sido autuado por violar correspondências alheias e até se apropriar de apartamento vazio.

Convidada a abordar o homem em frente às câmeras, uma moradora acabou confrontando o homem com uma cinta, iniciando agressões físicas mútuas, com acusações e xingamentos, encerrando o episódio com chave de ouro.

Confira o episódio completo abaixo: