Matérias » Roma Antiga

Ran Feinstein e Ofer Ra'anan, os mergulhadores que encontraram o impressionante tesouro naufragado da Roma Antiga

Na costa israelense, foram descobertos artefatos incríveis como estátuas de bronze em tamanho real, uma lâmpada do deus Sol e centenas de moedas que, juntas, pesam quase 20 kg

Isabela Barreiros Publicado em 01/07/2020, às 07h00

Itens romanos encontrados na costa israelense
Itens romanos encontrados na costa israelense - Yoli Shwartz/Israel Antiquities Authority

Em 2016, os dois amigos Ran Feinstein e Ofer Ra'anan estavam em uma excursão de mergulho no Mediterrâneo. Tudo seguia como o previsto, até que os dois observaram uma escultura, que parecia muito antiga e era enorme, no fundo do mar, próximo a cidade de Cesareia, na costa israelense, a quase 50 quilômetros de Tel Aviv.

Em entrevista à Associated Press, Ra'anan disse que ambos levaram alguns segundos para finalmente entender o que estava ocorrendo. Eles ainda não sabiam que estavam diante do maior esconderijo de artefatos romanos já encontrado em Israel: a estátua não estava sozinha, e muitos outros artefatos foram descobertos no local.

Quando perceberam a quantidade de itens observados, os mergulhadores chamaram a Autoridade de Antiguidades de Israel, que enviou especialistas ao local. Os pesquisadores ficaram chocados: os objetos estavam muito bem preservados e eram quase autoexplicativos, pois não faltavam estátuas romanas para o tesouro.

Crédito: Clara Amit/Israel Antiquities Authority

 

Para o diretor da Unidade de Arqueologia Marinha da Autoridade de Antiguidades de Israel, Jacob Sharvit, “essas são descobertas extremamente emocionantes, que além de sua beleza extraordinária, são de importância histórica”. "A localização e distribuição dos achados antigos no fundo do mar indicam que um grande navio mercante carregava uma carga de metal destinada à reciclagem, que aparentemente encontrou uma tempestade na entrada do porto e flutuou até atingir o paredão e as rochas”, explicou.

No geral, foram encontradas figuras de metal, estátuas, lâmpadas e moedas — todos os itens em um alto grau de preservação. A variedade também era enorme. A descoberta contava com jarros, que provavelmente serviam para beber água fresca do mar, uma lâmpada de bronze que continha a divindade do sol e algumas âncoras de ferro.

Além desses impressionantes achados, os arqueólogos conseguiram encontrar ainda uma estatueta de baleia, outra que representava a deusa da lua Luna, uma lâmpada que tinha a forma de cabeça de um africano escravizada, outros artefatos moldados em formato de animais, vasos de metal, pedaços de três estátuas de bronze em tamanho natural e um objeto descrito como "torneira de bronze na forma de um javali com um cisne na cabeça".

Crédito: Israel Antiquities Authority

 

É importante, ainda, descrever uma importante descoberta também feita no local. Embaixo d’água estavam dois pedaços de moedas enormes. Elas estavam enferrujadas e pesavam, juntas, pelo menos 22 quilos. Algumas delas continham representações de Constantino, o Grande e Licínio.

Como já explicado por Jacob Sharvit, é provável que o tesouro tenha sido encontrado no fundo do mar devido ao naufrágio de um cargueiro, há pelo menos 1.600 anos. Os pesquisadores disseram ainda que a embarcação poderia estar levando os muitos objetos para serem derretidos. "As estátuas de metal são achados arqueológicos raros porque sempre foram derretidas e recicladas na antiguidade", afirmou Sharvit.

"Quando encontramos artefatos de bronze, geralmente ocorre no mar. Como essas estátuas foram destruídas junto com o navio, afundaram na água e foram 'salvas' do processo de reciclagem", concluiu.

Crédito: Clara Amit/Israel Antiquities Authority

 

Isso aumenta ainda mais a importância de descobrir artefatos que remontem ao período do Império Romano. Para o diretor da organização, a descoberta foi possível principalmente porque uma camada fina de areia a cobriu, aumentando ainda mais a proteção dos itens. As autoridades chegaram até mesmo a dizer que parecia que as estátuas haviam sido naufragadas há pouquíssimo tempo.

Outro fator considerado essencial para que Ran Feinstein e Ofer Ra'anan achassem o tesouro é que, recentemente, inúmeros artefatos estão sendo encontrados na região. Em fevereiro de 2015, por exemplo, quase 2 mil moedas de ouro do século 11 foram descobertas no porto de Cesareia, o que é considerada a maior descoberta de moedas de ouro já realizada em Israel. A maior presença de mergulhadores fez com que isso se tornasse mais comum na região.


+Saiba mais sobre o Império Romano por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Roma: A História De Um Império, de Greg Woolf (2017) - https://amzn.to/2Ys2Un0

SPQR - Uma história da Roma antiga, de Mary Beard (2017) - https://amzn.to/2YlQAot

Declínio e queda do império romano, de Edward Gibbon (2005) - https://amzn.to/2WgIDy9

História de Roma: Da Fundação à Queda do Império, de Indro Montanelli (2017) - https://amzn.to/35o7t34

História de Roma, de Pierre Grimal (2011) - https://amzn.to/2SrcEKl

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W