Matérias » Música

"Sem classe e grosseira": a nada amigável relação de Elton John e Madonna

A rivalidade entre os dois artistas já dura décadas e gerou alguns escândalos notáveis em premiações de música

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 19/01/2021, às 15h58

Os artistas Elton John e Madonna
Os artistas Elton John e Madonna - Wikimedia Commons

No mundo da música, muitos artistas possuem rivalidades que podem durar décadas e até mesmo suas carreiras inteiras. O fato é que algumas das mais importantes figuras, principalmente do pop, não se dão bem tanto por gostos pessoais divergentes, competições e até mesmo por insultos quase gratuitos.

Madonna e Elton John possuem carreiras consolidadas na indústria musical. Com ‘Like a Prayer’, lançada em 1989, a artista estabeleceu sua marca como uma das mais importantes da história. E depois de ‘Your Song’, de 1970, John passou a ser considerado um notável nome do rock n roll. 

Elton John cantando Your Song / Crédito: Divulgação - Youtube / Elton John

 

Mas consistente também está a desavença entre os dois cantores, que foi exposta com mais clareza pelo artista em 2004. A inimizade entre eles já é conhecida do público, principalmente pela parte de Elton, que não contém suas palavras e já falou sobre o tema inúmeras vezes, enquanto Madonnapermanece mais silenciosa.

Foi no Q Awards de 2004 que a coisa ficou feia. Durante a premiação, a cantora recebeu o prêmio de ‘compositor clássico’ e tudo poderia permanecer como o normal desses eventos: ela subiria no palco, receberia o prêmio e faria seus agradecimentos. No entanto, o Rocketman não seguiu o script.

Madonna, melhor artista ao vivo? Desde quando a sincronização labial está ao vivo? Desculpe por isso, mas acho que todos que dublam no palco em público quando você paga cerca de 75 libras para vê-los deveriam ser fuzilados. Muito obrigado. Sou eu fora da lista de cartões de Natal dela, mas eu dou uma chance? Não”, declarou John no palco.

Somente a partir desse episódio, já é possível perceber que a relação dos dois era completamente complicada, para se dizer o mínimo. Ainda assim as intrigas continuaram acontecendo e sendo expostas ao público, especialmente durante premiações e a vitória de um ou outro.

Madonna nos palcos em 2006 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em 2012, foi o marido de John, o cineasta David Furnish, que parou nas manchetes dos jornais de fofoca ao criticar Madonna. Ela havia recebido o Globo de Ouro de melhor canção original naquele ano com ‘Obra-prima’, música que fazia parte da trilha sonora do filme WE, também dirigido pela cantora.

Mas o cantor também estava concorrendo à mesma categoria e, pelo que se pode notar, seu esposo não ficou muito feliz com isso. Ele estava concorrendo com ‘Olá, Olá’, canção da animação Gnomeo & Juliet, e estava certo de uma coisa: “Não há nenhuma chance de Madonna ganhar esse prêmio”, disse a jornalistas no tapete vermelho. Ela rebateu, dizendo “que vença o melhor”. 

Em seu perfil no Facebook, Furnish escreveu uma crítica clara ao fato de a Material Girl ter vencido. “Madonna ter ganhado o prêmio de melhor canção original mostra claramente como essas premiações não têm nada a ver com merecimento. Seu discurso de agradecimento foi embaraçoso e extremamente narcisista”, afirmou. De qualquer maneira, ele se retratou com a cantora, voltando atrás na declaração.

O marido de John também não foi a única pessoa de fora a ser arrastada para a inimizade de Elton e Madonna. Lady Gaga, que é madrinha do filho do artista, entrou na briga depois de a cantora ter criticado sua música ‘Born This Way’, lançada em 2011. E o amigo não deixou barato. Em sua nova autobiografia, Me, publicada em 2019, o cantor fala sobre o episódio, conforme divulgado pela NME. 

“Eu costumava tirar sarro da [Madonna] por fazer playback no palco, mas o problema realmente começou quando ela detonou a Gaga em um programa americano. Eu entendo que o single de Gaga, ‘Born This Way’, é definitivamente semelhante a ‘Express Yourself’, mas eu não conseguia entender porque ela foi tão sem classe e grosseira com isso, ao invés de considerar um elogio… particularmente quando ela afirma ser um modelo para as mulheres”, escreveu.

Ele explicou que considera a atitude errada, pois “um artista consolidado não deveria falar mal de um artista mais jovem logo no início de sua carreira”. Mas, ainda no livro, John também comentou que pediu desculpas à cantora por algumas ofensas que fez a ela. 

“Eu estava furioso e disse algumas coisas horríveis sobre ela a um entrevistador de TV na Austrália, um cara que eu conhecia desde os anos setenta chamado Molly Meldrum. Você pode ver pela filmagem que aquilo não fazia parte da entrevista, que eu estava falando com um velho amigo nos intervalos… Eles transmitiram aquilo de qualquer maneira, o que levou essa antiga amizade em particular a um fim muito rápido. Ainda assim, eu não deveria ter dito isso. Eu pedi desculpas”, disse.


+Saiba mais sobre a História da música por meio de obras disponíveis na Amazon:

O livro da música clássica, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2UXEqQy

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W