Vitrine » Personagem

Delegado Fleury: obra revela detalhes da vida do líder do Esquadrão da Morte

Autópsia do medo, de Percival de Souza, é um estudo profundo sobre o homem que matou e torturou diversas pessoas durante a ditadura militar

Victória Gearini Publicado em 05/11/2020, às 14h26

Sérgio Fleury, torturador da ditadura militar
Sérgio Fleury, torturador da ditadura militar - Wikimedia Commons

Em 1966, Sérgio Fernando Paranhos Fleury, mais conhecido como Delegado Fleury, se formou em direito. Dois anos mais tarde, foi designado para trabalhar no DOPS (Departamento de Ordem Política e Social), o que levou a ser conhecido como o sádico matador e torturador da ditadura militar brasileira. 

Responsável por comandar a operação que capturou e matou o líder guerrilheiro Carlos Marighella, Fleury atuou, ainda, na execução e tortura de diversos militantes que se opuseram ao regime militar. Como delegado, ele aplicava a tática de prender e torturar um dos membros da equipe, para que a vítima entregasse os demais colegas. 

[Colocar ALT]
Autópsia do medo, de Percival de Souza (2001) / Crédito: Divulgação / Editora Globo

De acordo com o Ministério Público de São Paulo, Fleury foi o principal líder do Esquadrão da Morte, responsável por torturar e matar diversas pessoas, independentemente da idade ou gênero.

O cruel delegado chegou a ser condenado à prisão pelo STF, mas ao invés de cumprir a pena, foi condecorado pelo Exército Brasileiro com a Medalha do Pacificador e pela Marinha do Brasil com a Medalha Amigo da Marinha. Contrário a anistia, Fleury veio a falecer em 1979, em decorrência de um afogamento. No entanto, seu corpo foi sepultado sem passar antes por uma autópsia.

Lançada em 2001, pela Editora Globo, a obra Autópsia do medo, de Percival de Souza, trata-se de um estudo profundo sobre a vida de Sérgio Fleury. Neste livro, o escritor apresenta o cruel delegado, como um homem que casou, teve filhos, amigos, e que se apaixonou por uma mulher do grupo inimigo. 

Por meio de uma análise minuciosa ao longo de 10 anos, o autor apresenta os elementos que vieram a configurar Fleury como a encarnação da maldade e do medo. Além disso, o escritor utilizou uma pesquisa extensa e metódica para examinar e classificar a personalidade do brutal delegado. 

Disponível na Amazon em formato de capa comum, a obra de Percival de Souza utiliza personagens e fontes capazes de revelar a vida íntima e os brutais crimes por trás da figura do principal líder do Esquadrão da Morte.


+Saiba mais sobre esta e outras obras relacionadas ao tema, disponíveis na Amazon:

Autópsia do medo, de Percival de Souza (2001) - https://amzn.to/32b6fYL

A Ditadura Envergonhada, de Elio Gaspari (2015) - https://amzn.to/3b1gql8

Liberdade vigiada: As relações entre a ditadura militar brasileira e o governo francês, de Paulo César Gomes (2019) - https://amzn.to/2Rta71U

Cativeiro sem fim: as Histórias dos Bebês, Crianças e Adolescentes Sequestrados Pela Ditadura Militar no Brasil, de Eduardo Reina (2019) - https://amzn.to/2JUI6vZ

1964: O Elo Perdido. O Brasil nos Arquivos do Serviço Secreto Comunista, de Mauro Kraenski e Vladimir Petrilak (2017) - https://amzn.to/2V0wCh2

Ditadura à brasileira: 1964-1985 a democracia golpeada à esquerda e à direita, de Marco Antonio Villa (2014) - https://amzn.to/2V0Apuy

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W