Curiosidades » Segunda Guerra

Romeu e Julieta da Segunda Guerra: O amor proibido entre Edda Mussolini e um comunista

Exilada após a queda do fascismo, a filha do ex-ditador italiano se apaixonou e escreveu sobre seu amado em mais de 30 cartas de amor

Pamela Malva Publicado em 22/02/2020, às 10h00

Fotografia de Edda Ciano em 1935
Fotografia de Edda Ciano em 1935 - Getty Images

Benito Mussolini é uma das figuras mais controversas da história da Europa. Enquanto alguns dizem que ele era o líder de um Estado racista e opressor, outros afirmam que ele inovou a economia da Itália.

A única certeza sobre o ditador fascista é de que ele se reviraria no túmulo caso soubesse sobre o último relacionamento de sua filha. Edda, a mais velha entre os filhos do político, se apaixonou por um líder comunista chamado Leonida Bongiorno.

O caso de paixão entre os dois foi descoberto através de 36 cartas de amor, encontradas em Lipari, uma ilha italiana. Datados de setembro de 1945 a abril de 1947, os textos narram a relação entre Edda e Leonida desde o primeiro dia.

O casal se conheceu em uma manifestação no largo da Sicília, para onde Edda foi enviada quando o fascismo caiu. Segundo as cartas, o primeiro encontro amoroso aconteceu no terraço da casa de Leonida. Edda conta que, na ocasião, resistiu ao envolvimento entre os dois, mas acabou se apaixonando por ele.

Edda Ciano com Ademar de Barros, em visita a São Paulo, em 1939 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em 1946, entretanto, a filha de Mussolini foi libertada e quis voltar para seus filhos, que estavam em Roma. Ao seu amante, ela suplicou: “Venha viver comigo. Não desista da felicidade que Deus lhe está oferecendo”.

Edda não esperava que, ao mesmo tempo em que ela entregava seu coração ao comunista, Leonida conhecera outra mulher, Angela. Os pombinhos tiveram apenas mais um encontro, em Messina e, depois disso, o homem se casou, abandonando Edda.

Após o fim do relacionamento, Edda Ciano, que tinha o sobrenome de seu primeiro marido, negou qualquer envolvimento pessoal com o fascismo. Ela morreu em 1995, aos 84 anos, em Roma. Todas as cartas foram encontradas na casa do filho de Leonida, Edoardo. Elas estavam guardadas junto de diversas anotações, fotos e mechas de cabelo.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo

The Driving Ambition of Edda Mussolini, de Helen Lashbrook (eBook) - https://amzn.to/2PeV9M1

A Segunda Guerra Mundial, de Martin Gilbert (2014) - https://amzn.to/39VorHq

Edda Ciano E Il Comunista, de Marcello Sorgi (2009) - https://amzn.to/2PbV4IY

La mia vita, de Edda Ciano e Domenico Olivieri (2002) - https://amzn.to/2SZxq3m

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.