Curiosidades » Brasil

O homem que pediu para ser preso visando a segurança de sua ex-mulher

O caso, que aconteceu no mês passado, chamou atenção nas redes sociais

Redação Publicado em 06/03/2022, às 09h00

Momento da prisão
Momento da prisão - Divulgação/Vídeo

No mês passado, um caso peculiar chamou atenção de internautas. Samuel Santos Souza, de 24 anos, pediu que a Polícia Militar do Espírito Santo o prendesse. O homem, que tem 24 anos, havia ameaçado sua ex-mulher, em Vitória. 

Durante o episódio que resultou em briga na casa mulher, uma viatura passava pelo local, conforme repercutido pelo portal de notícias UOL. Samuel, então, abordou as autoridades e pediu que a briga fosse interrompida antes de acabar em violência ou até mesmo óbito.

Em entrevista, ele explicou mais detalhes do episódio agressivo e suas motivações para abrir um B.O.

"Mandei várias mensagens dizendo para ela que, se não voltasse comigo, ia matar ela e o cara que está com ela. Para isso não acontecer, abri um B.O contra mim mesmo. Foi uma atitude para proteger a mim, a ela e também a nossa filha, de três anos. Fui na residência dela, me alterei, ela se sentiu coagida, passou uma viatura e eu mesmo chamei a viatura para mim", explicou ele ao portal notícias UOL durante sua passagem no Departamento Médico-Legal), ou seja, antes da prisão. 

Samuel durante a prisão /Crédito: Divulgação/Vídeo

Brigas e ameaças

Samuel também revelou que o relacionamento já havia chegado ao fim quatro meses antes de ser preso. Na época, a antiga companheira descobriu três traições. Com o fim do relacionamento, vieram as ameaças.

Ele admite que estava errado e que não queria ser 'um homem que mata uma mulher'.

"Tenho certeza de que estava errado. Por isso tive essa atitude. Não quero ser um homem que mata uma mulher. Sei que vou estragar a minha vida. Estou aliviado, porque consigo deixar a todos seguros".

Ao UOL, a mulher - que não teve a identidade revelada - explicou que o ex-companheiro era 'ciumento e possessivo' e que 'não aceitou o término'. 

"Ele era ciumento e possessivo. A gente terminou e ele estava tranquilo, mas depois ele não aceitou o término e começou a me pressionar a voltar. Estava me ameaçando o tempo todo. Nunca colocou o dedo em mim, mas me ameaçava", disse ela ao veículo.

Apesar da fiança, não revelada, a Polícia Civil explicou que não foi efetuado o pagamento do valor. Além disso, é ressaltado que Samuel foi detido através da Lei Maria da Penha, diante das ameaças realizadas.