Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Curiosidades / Vinho

O vinho de 1.700 anos que chama atenção na Alemanha

Encontrada em 1867 em uma sepultura romana, a garrafa de vinho se encontra em um museu alemão

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 02/05/2023, às 18h17 - Atualizado em 03/05/2023, às 19h58

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Vinho mais antigo do mundo - Divulgação / Carola Raddato
Vinho mais antigo do mundo - Divulgação / Carola Raddato

O consumo de vinho tem sido parte da história da humanidade por milhares de anos. As primeiras evidências do cultivo de uvas para a produção de vinho datam de cerca de 6000 a.C., na região que hoje é a Geórgia. Desde então, o vinho se tornou uma bebida popular em muitas culturas ao redor do mundo.

Imagem ilustrativa / Crédito: Imagem de Vinotecarium por Pixabay

Sepultura romana

É no Museu Histórico do Palatinado em Speyer, Alemanha, que se encontra a garrafa de vinho preservada mais antiga do mundo, datada de cerca de 1.690 anos, um objeto histórico fascinante.

Chamado de Römische Wein von Speyer ou Vinho Speyer, ele foi descoberto em uma sepultura romana em 1867 e é a única garrafa intacta entre as 16 encontradas no sarcófago. As informações são do portal Gizmodo.

Surpreendentemente, apesar da idade, a especialista em vinhos, Monkia Christmann, alegou que, embora microbiologicamente não esteja estragado, o sabor não seria agradável.

"Microbiologicamente, provavelmente não está estragado, mas em termos de sabor não agradaria mais a ninguém", disse ela, como repercutido pela revista Bild em 2011. 

Imagem ilustrativa de cachos de uvas / Créditos: Imagem de Marcos Mazzucotelli por Pixabay

A garrafa permaneceu selada por tanto tempo graças ao uso de cera em vez de uma rolha comum e acredita-se que a excessiva camada de azeite de oliva usada na selagem pode ter contribuído para sua durabilidade.

Mistura de uva

No entanto, a relíquia ainda não foi aberta por medo de que o ar possa prejudicar o vinho. Vale lembrar que, após tantos anos, o líquido perdeu suas propriedades alcoólicas e agora é apenas uma "mistura de uva".

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!