Curiosidades » Segunda Guerra Mundial

Obra apresenta a relação de Heinrich Himmler — o chefe da SS — com a família

Lançada em 2017, "Heinrich Himmler: Cartas de um Assassino em Massa", de Michael Wildt, descreve como o oficial conciliava a família e o comando da SS

Redação Publicado em 03/07/2021, às 15h50

Fotografia de Heinrich Himmler
Fotografia de Heinrich Himmler - Arquivo Federal Alemão, via Wikimedia Commons

Nazistas amavam. É um fato incômodo, porque os “humaniza”, e óbvio, porque humanos eles eram. Tinham famílias e entes queridos. A pergunta não é se nazistas amavam, mas como eles conciliavam seu afeto doméstico com o massacre diário como profissão.

[Colocar ALT]
Heinrich Himmler: Cartas de um Assassino em Massa, de Michael Wildt (2017) / Crédito: Divulgação / Record

É o que é revelado nas cartas de Heinrich Himmler, o chefe da SS, a força paramilitar diretamente responsável pelo Holocausto. Nas cartas podemos ver Himmler abordar calorosamente sua família.

A filha é “malandrinha”. A esposa é “minha boa mulherzinha!”. Entre banalidades cotidianas, como dores de garganta, viagens de trem e o amor por retiros na natureza, surgem comentários sobre como judeus mal parecem seres humanos. E, como uma sombra funesta, mas nunca explicitamente, o que papai fazia no trabalho. A impressão é de se estar lendo uma perturbadora e surreal comédia de situação.

Uma série sobre uma família “normal”, com o pai batendo ponto como um gerente do extermínio industrial. O livro Heinrich Himmler: Cartas de um Assassino em Massa, de Michael Wildt, contou com a material da sobrinhaneta de Himmler, que não tem qualquer simpatia pelo parente.

Confira um trecho da obra disponível na Amazon: 

Na primavera de 1945, imediatamente depois da guerra, um intelligence officer dos Estados Unidos encontrou-se em Gmund, perto do Tegernsee, com dois GI norte-americanos que aparentemente tinham se aprovisionado muito bem de "lembranças" na "casa de Lindenfycht", a residência particular de Heinrich Himmler. O oficial, também historiador, rapidamente entendeu o que os dois transportavam e tentou comprar seus achados. Um dos dois aceitou. O oficial adquiriu assim um arquivo contendo documentos privados da família Himmler, entre eles os diários manuscritos do jovem Heinrich Himmler no período de 1914 a 1922. Mas o outro GI não quis vender seus tesouros e retomou seu caminho.


+Saiba mais sobre a obra citada acima por meio da Amazon: 

Heinrich Himmler: Cartas de um Assassino em Massa, de Michael Wildt (2017) - https://amzn.to/3qHTtMx

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W


++Saiba mais sobre o nazismo por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Terceiro Reich na história e na memória, de Richard J. Evans (2018) - https://amzn.to/353Tu2w

As mulheres do nazismo, de Wendy Lower (2014) - https://amzn.to/3bwrlDv

A vida secreta dos nazistas, de Paul Roland (2020) - https://amzn.to/2yy0qso

Filhos de nazistas: Os impressionantes retratos de família da elite do nazismo, de Tania Crasnianski (2018) - https://amzn.to/2wWv5iy

Hitler e o nazismo, de Richard Geary (2012) - https://amzn.to/2xThKIe

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W