Curiosidades » Roma Antiga

Os gladiadores eram mesmo musculosos?

Estudo feito em 2006 revelou curiosidades sobre a vida dos antigos combatentes

Redação Publicado em 06/07/2020, às 11h51

Cena do filme Gladiador (2000)
Cena do filme Gladiador (2000) - Divulgação/Universal Pictures

Baixinho, gordinho e nada musculoso. Esqueça aquela imagem do cinema: era exatamente esse o porte físico dos gladiadores romanos. Em 2006, escavações feitas por uma equipe do Instituto Arqueológico Austríaco, que analisou ossadas encontradas em um cemitério de gladiadores em Éfeso, na Turquia.

A partir de uma minuciosa análise forense em 67 esqueletos, os cientistas verificaram que os lutadores não tinham nada de extraordinário: eram jovens comuns, entre 20 e 30 anos, com cerca de 1,68 m (a estatura média da população de 2 a.C), pouco músculo e umas gordurinhas extras.

Na análise, foram utilizadas sondas para examinar a estrutura microscópica dos ossos e determinar a composição química absorvida por eles durante a vida. Assim, descobriu-se a proporção de carne, legumes e frutas que faziam parte da dieta dos gladiadores.

E o estudo mostrou que muitos dos lutadores também eram vegetarianos: sua dieta era rica em cevada, feijão e frutas secas. Uma dieta equilibrada registra índices de zinco e estrôncio em proporções iguais nos ossos.

A ossada dos lutadores mostrou altos índices de estrôncio e pouco zinco. “A densidade de estrôncio encontrada nos ossos era maior que o normal, até mesmo para os atletas de hoje em dia”, afirmou na época Fabian Kanz, responsável pelo estudo.

A dieta rica em carboidratos conferia peso extra, massa e força – requisitos ideais para as brigas que eram assistidas por até 25 mil pessoas (tamanho da arena de Éfeso, metade do Coliseu). A gordura era uma grande aliada durante os combates, pois funcionava como um escudo para os golpes feitos com lanças.

Segundo Kanz, é provável que os gladiadores tentassem ganhar peso antes das lutas para se proteger. “Mas isso não significa que não se esforçavam para emagrecer assim que colocavam o pé fora da arena”, afirmou.

O mesmo estudo revelou ainda que a selvageria não podia existir nas arenas como os filmes mostram. A ausência de múltiplas lesões e de mutilações indica que as lutas tinham regras estritas. Cada lutador tinha armas e oponentes específicos. E mais: eles lutavam descalços.