Notícias » Austrália

78 anos após morte trágica, marinheiro da Segunda Guerra ganha honraria na Austrália

Um sacrifício realizado por Edward Sheean em 1942, que acabou resultando em seu óbito, aos 18 anos, foi reconhecido postumamente

Vanessa Centamori Publicado em 13/08/2020, às 09h35

Edward "Teddy" Sheean
Edward "Teddy" Sheean - Domínio Público

Segundo informações da CNN, 75 anos após a sua morte, o marinheiro da Segunda Guerra, Edward Sheean, conhecido também como Teddy, foi condecorado postumamente com a Victoria Cross — a maior honraria da Comunidade Britânica por bravura militar.

Teddy Sheean faleceu em 1 de dezembro de 1942, aos 18 anos de idade, em uma atitude que salvou a vida de seus compatriotas. O caso ocorreu durante uma operação na região atual do Timor-Leste, quando o marinheiro estava a bordo do navio HMAS Armidale. Aviões de guerra japoneses atacaram a embarcação. 

Foram dadas ordens para abandonar o navio quando dois torpedos atingiram o veículo marinho, que começava a afundar rapidamente. Mas o jovem se recusou a entregar os pontos. Mesmo ferido, não saiu do barco: pegou uma arma antiaérea Oerlikon e começou a atirar, conforme afundava. 

"Ele abateu dois aviões, e os tripulantes se lembram de ter visto o traçador subindo debaixo da superfície enquanto Sheean era arrastado para baixo da água, atirando até o fim", descreveu a Australian War Memorial (AWM).

A morte trágica do rapaz não foi única daquele dia, mas outros 100 dos 149 tripulantes australianos também morreram. Uma semana após o naufrágio, os outros 49 sobreviventes foram resgatados do mar. Muitos acreditam que atitude de Sheean foi vital para salvar as vidas restantes. Isso fez dele um herói e uma lenda na Austrália, com monumentos e homenagens a ele em todo o país.