Notícias » Itália

Ao criticar sobrevivente do holocausto, político afirma que Jesus não era judeu

A polêmica declaração ocorreu durante moção que premiaria Liliana Segre com a cidadania honorária de Trieste

Fabio Previdelli Publicado em 03/12/2019, às 12h07

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Getty Images

Durante uma discussão do conselho municipal de Trieste sobre a votação de uma moção honrosa que propunha premiar a sobrevivente de Auschwitz, Liliana Segre, com a cidadania honorária da cidade italiana, o vereador Fabio Tuiach interveio dizendo que se absteria do seu voto por se sentir ofendido com a declaração de Segre. Isso porque anteriormente, ela teria afirmado que Jesus era judeu.

"Convido com prazer essa linda vovozinha para tomar um chá, como Salvini fez [referência a Matteo Salvini, líder de um partido de direita]. A respeito muito, mas como alguém que é profundamente católico, fiquei confuso e ofendido por ela dizer que Jesus era judeu, sendo que para mim ele era o filho de Deus", afirmou Tuiach na Assembleia.

A declaração gerou diversas reclamações e críticas por parte dos demais políticos italianos que estavam na sessão. No entanto, o caso não ficou restrito ao conselho. O vídeo com a alegação logo viralizou nas redes sociais e causou indignação entre os internautas.

Sobre os personagens envolvidos na discussão

Desde que assumiu o cargo, Segre se tornou uma das figuras públicas mais conhecidas e apreciadas do país, trabalhando para promover não apenas a lembrança do Holocausto, mas também uma mensagem de tolerância e solidariedade.

No início de novembro, as autoridades italianas anunciaram que colocariam a senadora sob escolta policial depois que ela recebeu ameaças de fanáticos da extrema direita.

Por outro lado, Tuiach é marcado por suas declarações polêmicas. Segundo o portal italiano New Notizie, ele já se declarou diversas vezes como "ferozmente fascista" e também foi centro de polêmicas ao dizer que o feminicídio é uma “invenção da esquerda”.

Além de vereador, Tuiach também é boxeador na categoria peso pesado. Ele entrou na política em 2016 quando servia a La Liga, partido contra imigração, liderado por Matteo Salvini. Agora, faz parte do partido Forza Nuova, de direita.