Notícias » Ásia

Após 14 meses de mistério, ativista de Hong Kong afirma ter sido detida na China continental

Alexandra Wong, de 64 anos, estava desaparecida desde agosto de 2019

Penélope Coelho Publicado em 19/10/2020, às 12h19

Alexandra Wong em coletiva
Alexandra Wong em coletiva - Divulgação/ Youtube / BBC News / 19 de out. de 2020

Alexandra Wong, conhecida por seu trabalho como ativista pró-democracia de Hong Kong reapareceu no último sábado, 17, após 14 dias de mistério. De acordo com a mulher, nesse período, ela estava detida na China continental. 

Apelidada de avó Wong, a ativista estava desaparecida desde agosto de 2019, nesse intervalo de tempo ela realizou apenas alguns contatos esporádicos. Segundo a BBC, Alexandra disse que foi presa depois da realização de um protesto, enquanto voltava para Shenzhen, na China.

A mulher contou que foi obrigada a assinar um documento com objetivo de renunciar a qualquer ativismo, Wong complementou dizendo que também chegou a ser enviada para uma "viagem patriótica" para o norte da China.

“Tive medo de morrer naquele centro de detenção”, afirmou a ativista durante entrevista coletiva. Contudo, Alexandra informou que apesar de tudo o que passou, ela não irá parar. "Não vou desistir de lutar [...] Afinal, haverá sacrifício, caso contrário, o sistema autoritário não será alterado”, disse a avó Wong, como revelado pela BBC.