Notícias » Arte

Após décadas desaparecida, obra de Kandinsky é leiloada por US$ 1,3 milhão

Exibida pela primeira vez em 1932, a aquarela 'Gebogene Spitzen' foi redescoberta em uma coleção privada na Alemanha

Pamela Malva Publicado em 23/06/2021, às 14h00

Imagem meramente ilustrativa de visitante em exposição de Kandinsky
Imagem meramente ilustrativa de visitante em exposição de Kandinsky - Getty Images

Há cerca de um mês, após décadas desaparecida, uma antiga aquarela do artista russo Wassily Kandinsky ressurgiu no acervo de um colecionador. Com o nome 'Gebogene Spitzen', a obra foi leiloada no último final de semana, segundo a revista Veja.

Identificada em uma coleção privada na Alemanha, a peça arrecadou mais de 1,3 milhão de dólares no leilão da casa Ketterer Kunst, em Munique. Comprada por um colecionador de Berlim, ela foi arrematada por mais de três vezes seu valor inicial.

Depois de encontrada, a obra foi analisada por diversos especialistas, que a identificaram após décadas de mistério. Nesse sentido, ainda de acordo com a Veja, descobriu-se que ela foi exibida ao público pela primeira vez em 1932. Por isso, antes de ser leiloada, a tela foi exposta mais algumas vezes, depois de quase um século, em várias cidades alemãs.

Fotografias da obra e de Kandinsky / Crédito: Divulgação/ Ketterer Kunst/ Domínio Público

 

Uma anotação feita no verso da aquarela revela que ela viajou com Kandinsky e sua esposa Nina para Paris, em julho de 1933, depois que os nazistas fecharam a escola Bauhaus, em Berlim. Em seguida, de acordo com uma lista administrada pela companheira do artista sugere que a obra foi vendida através da Probst.

Ainda mais, segundo dados armazenados pelo Fundo Kandinsky, uma lista de telas que estavam sob os cuidados da Probst revela que a aquarela 'Gebogene Spitzen' foi supostamente vendida em 1949. Dessa forma, especialistas acreditam que a obra acabou viajando mais uma vez naquele ano, desaparecendo do mapa dali em diante.