Notícias » França

Após relatório sobre pedofilia, Macron cobra Igreja: ‘Precisamos da verdade e de ressarcimentos’

Recentemente, um documento apontou pelo menos 300 mil casos de abuso dentro da Igreja Católica na França

Penélope Coelho Publicado em 07/10/2021, às 08h06

Fotografia de Emmanuel Macron
Fotografia de Emmanuel Macron - Getty Images

Na última quarta-feira, 6, o presidente francês, Emmanuel Macron, 43, falou sobre o recente relatório que revelou mais de 300 mil casos de pedofilia na Igreja Católica, na França.

Durante coletiva de imprensa realizada após uma reunião com líderes da União Europeia, na Eslovênia, o governante afirmou que a sociedade precisa de "verdade e ressarcimentos".

De acordo com informações publicadas pela agência de notícias ANSA, Macron cobrou que a Igreja continue com o processo de investigação e elogiou a instituição por ter decidido “olhar na cara" da crise com “espírito de responsabilidade”.

"Espero que o trabalho continue de maneira lúcida e pacífica. Nossa sociedade precisa disso. Precisamos da verdade e de ressarcimentos", afirmou o presidente da França.

Sabe-se que recentemente, após dois anos e meio de investigação, uma comissão independente nomeada pela Conferência Episcopal da França, divulgou o documento que revela dados alarmantes a respeito de abuso sexual infantil por parte de padres e outros membros da Igreja francesa, desde o ano de 1950.