Notícias » Mundo

Arquiteto quer construir zoológico para enjaular pessoas na China

O criador da ideia é conhecido como o Willy Wonka do design de hotéis e também é conservacionista ambiental

Vanessa Centamori Publicado em 17/03/2020, às 14h20

Zoológico onde pessoas são enjauladas
Zoológico onde pessoas são enjauladas - Divulgação/ Bill Bensley

Você já fez uma visita a um zoológico? imagine se em vez de ter visto animais enjaulados, nesse local você visse seres humanos dentro de jaulas. Essa é a ideia inusitada do criativo arquiteto Bill Bensley, conhecido como o Willy Wonka do design de hotéis. 

O projeto do zoológico humano começou quando um cliente o pediu para criar um zoo convencional, na cidade chinesa de Wuchuan. Bensley então passou a pensar de modo bem fora do comum, originando o que ele chama de Projeto World Wild. 

Serão vários hotéis muito diferenciados, dos quais um deles terá como tema o zoológico com humanos enjaulados. Serão 2,4 mil jaulas (que são na verdade quartos). O empreendimento custará pelo menos um milhão de dólares por cada gaiola para humanos. 

Projeto de Bill Bensley para hotel zoológico / Crédito: Divulgação / Bill Bensley

 

Do lado de fora das jaulas, animais selvagens e exóticos, resgatados de situações de abuso, andarão soltos. A ideia é criar para os bichos habitats sintéticos parecidos com vários espaços que existem na natureza, como florestas asiáticas, a savana australiana e a africana. Por esses locais, percorrerão espécies como macacos-dourados, cervos-almiscarados, e rinocerontes-brancos.  

Mas para que isso realmente ocorra e se concretize até 2023, Bensley quer se encontrar com o Partido Comunista da China para pedir apoio. Com a aprovação do partido, ele poderá soltar os animais resgatados por um terreno gigante de quase 2 mil hectares (considere que um hectare tem 10 mil metros quadrados). 

Segundo Bensley, que não é só arquiteto, como também é um conservacionista ambiental, ele quer construir o zoológico humano por motivos políticos. “ [A área onde haverá o zoológico] era um caminho migratório para pássaros vindos de Beijing para a Austrália. Agora estamos restaurando as terras úmidas para que eles voem e ganhem energia”, explicou o empreendedor ao canal CNN.