Notícias » Esportes

Atletas da Alemanha acreditam que regras sobre protestos nas Olimpíadas não são esclarecedoras

Recentemente, o Comitê Olímpico Internacional passou a permitir que os competidores realizem manifestações, contudo, a norma possui diversas exceções

Penélope Coelho Publicado em 28/07/2021, às 10h31

Ginasta alemã usando uniforme longo
Ginasta alemã usando uniforme longo - Getty Images

De acordo com informações da agência de notícias Reuters, publicadas pelo G1, na última terça-feira, 27, um grupo de atletas de elite da Alemanha afirmou que as recentes regras sobre protestos nos Jogos Olímpicos de Tóquio não são transparentes.

Para os competidores, as normas que foram introduzidas há pouco tempo para que atletas pudessem se manifestar durante as Olimpíadas podem intimidá-los, já que é necessário contar com a “boa vontade” do Comitê Olímpico Internacional.

A regra foi alterada às pressas, alguns dias antes do início das competições no Japão, anteriormente, qualquer tipo de protesto era proibido. Agora, a comissão permite que os competidores se manifestem, contanto que não haja perturbação e falta de respeito. Além disso, os protestos são proibidos no pódio.

Entretanto, as manifestações precisam passar por aprovação prévia, através de um grupo de trabalho que envolve a Federação Internacional e o Comitê Olímpico. Para os atletas alemães, a medida ajuda na falta de punição, mas, com a carência de detalhes deixa mais questionamentos do que certezas.

Sabe-se que recentemente, ginastas alemãs decidiram usar uniformes longos ao competirem, protestando contra a sexualização da mulher no esporte.