Notícias » Nigéria

Cantor nigeriano é condenado à morte após música ser considerada blasfêmia, diz site

A casa do músico foi incendiada por manifestantes, que caminharam até a sede da polícia local do estado de Kano

Vanessa Centamori Publicado em 10/08/2020, às 12h09

Imagem ilustrativa de cela
Imagem ilustrativa de cela - Pixabay

Segundo informações da BBC, na Nigéria, Yahaya Sharif-Aminu, um músico nigeriano de 22 anos, foi condenado à pena de morte por enforcamento após ter lançado uma música que ele divulgou via WhatsApp, no último mês de março. 

A canção foi considerada "blasfêmia" por colocar um imã acima do profeta Maomé, segundo considerou o tribunal da Sharia na área de Hockey Hausawa Filin. O cantor se encontra detido, mas tentou se esconder anteriormente após ter divulgado a música.

A casa de Yahaya foi incendiada por manifestantes, que se dirigiram até à sede da polícia local, chamada de Hisbah. Por outro lado, alguns seguidores da irmandade muçulmana Tijaniya consideraram a música completamente aceitável.

A sentença de morte ainda não foi executada, pois a lei da Nigéria requer a assinatura do governador do estado onde se dá a queixa, que, no caso, é Kano. Em todo o território nigeriano, a lei da Sharia é implementada juntamente com a lei secular na maioria dos estados.

À BBC, o líder dos manifestantes contrários à música, Idris Ibrahim, afirmou que o julgamento do cantor servirá como um aviso para outros que "contemplarem seguir o caminho de Yahaya".