Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Cristina Kirchner

Caso Cristina Kirchner: namorada de brasileiro foi mentora de ataque, diz jornal

"Serei a libertadora da Argentina", disse Brenda Uliarte em mensagem enviada a uma amiga; confira as conversas!

Redação Publicado em 15/09/2022, às 10h14

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A argentina Brenda Uliarte no momento de sua prisão - Divulgação / Youtube
A argentina Brenda Uliarte no momento de sua prisão - Divulgação / Youtube

Brenda Uliarte, namorada de Fernando Sabag Montiel, brasileiro que tentou matar a vice-presidente argentina Cristina Kirchner, teria sido a mentora do atentado ocorrido no dia 1º de setembro, conforme informações do jornal La Nación.

De acordo com a fonte, a polícia encontrou mensagens trocadas entre Brenda e uma amiga chamada Agustina Díaz, que apontam que foi a jovem de 23 anos quem planejou o assassinato de Kirchner. Os três se encontram presos em Buenos Aires.

Conversas no celular

Cerca de um mês antes do ataque, Uliarte disse a Díaz que estava organizando um grupo para ir com "tochas, bombas, armas e tudo" para matar a vice-presidente. "Serei a libertadora da Argentina. Eu estava praticando tiro, eu sei como usar uma arma", escreveu Brenda, segundo o UOL.

"Vou mandar matar Cristina", disse ela à amiga dias antes da tentativa de assassinato. "Mandei um cara para matar Cristina", afirmou, referindo-se a Montiel, seu namorado. 

Agustina então perguntou: "Quanto ele te cobrou?". Em resposta, Brenda declarou que nada foi cobrado, já que o companheiro também estaria irritado com os recentes acontecimentos no país. "Eu juro que essa eu vou matar. Estou exausta que ela roube e fique impune", disse a argentina.

Amiga alerta para consequências

Nesse momento, a amiga alerta para os riscos que Brenda corre ao realizar um ataque contra Kirchner. "Você percebe a confusão em que vai se meter, certo? Eles vão te procurar em todos os lugares se descobrirem que você é cúmplice na morte da vice-presidente".

"Por isso mandei alguém", respondeu a namorada de Fernando. "Se acontecer, vou para outro país e até mudo de identidade. Eu tenho isso pensado", acrescentou. "Eu tenho algum dinheiro, conhecidos. Vou embora, mas primeiro quero fazer algo pelo país."

De acordo com uma segunda análise realizada nos celulares de Montiel e Brenda, o casal teria planejado atacar a vice-presidente no dia 27 de agosto, mas o plano acabou sendo cancelado.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!