Notícias » Brasil

CNBB pede respeito a deputado que chamou arcebispo e papa de 'vagabundos' e 'pedófilos'

O parlamentar bolsonarista Frederico d’Avila respondeu a declaração do religioso sobre uma "pátria amada" não ser "armada"

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 18/10/2021, às 14h51

O deputado bolsonarista Frederico d’Avila (PSL)
O deputado bolsonarista Frederico d’Avila (PSL) - Assembleia Legislativa de São Paulo

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) direcionou um comunicado à Assembleia Legislativa de São Paulo solicitando punição ao deputado bolsonaristaFrederico d’Avila (PSL) após comentários públicos do político contra o papa Francisco, líder da Igreja Católica, e o arcebispo de Aparecida (SP), dom Orlando Brandes.

Em meio a xingamentos, o parlamentar classificou os religiosos como "pedófilos" e "vagabundos" após uma manifestação de Brandes durante uma missa, onde deixou claro que o país deve obter progresso respeitando seu lema: "Para ser pátria amada não pode ser pátria armada". A réplica do deputado estadual ocorreu na última quinta-feira, 14.

Seu vagabundo, safado, que se submete a esse papa vagabundo também. A última coisa que vocês tomam conta é do espírito e do bem-estar e do conforto da alma das pessoas. Você acha que é quem para ficar usando a batina e o altar para ficar fazendo proselitismo político? Seus pedófilos, safados. A CNBB é um câncer que precisa ser extirpado do Brasil”.

Na nota da CNBB, a instituição pediu respeito da casa legislativa e reconheceu que o homem "feriu e comprometeu a missão parlamentar", classificando o ato como "ódio descontrolado".

"A CNBB, respeitosamente, espera dessa egrégia casa legislativa, confiando na sua credibilidade, medidas internas eficazes, legais e regimentais, para que esse ultrajante desrespeito seja reparado em proporção à sua gravidade —sinal de compromisso inarredável com a construção de uma sociedade democrática e civilizada”, completa o comunicado.