Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

PF nega que corpos de Dom Philips e Bruno Pereira tenham sido encontrados

A informação da morte dos dois teria sido feita por Alessandra Sampaio, esposa do repórter

Redação Publicado em 13/06/2022, às 10h29 - Atualizado às 11h55

Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira em imagens - Divulgação/Twitter e Funai
Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira em imagens - Divulgação/Twitter e Funai

Dom Phillips e Bruno Pereira foram vistos pela última vez no dia 5 de junho, um domingo. O repórter britânico, que escrevia matérias sobre o Brasil para veículos como o New York Times, The Guardian e The Washington Post, e o ativista pelos direitos de populações indígenas estavam fazendo uma viagem à Terra Indígena do Vale do Javari, na Amazônia, porém nunca chegaram ao seu destino. 

As buscas pela dupla foram extensas, chegando a envolver as Forças Armadas, mobilizando equipes da Marinha e do Exército. Policiais civis e militares, bombeiros e outros profissionais também foram enviados à região, assim como veículos que podiam auxiliar na procura pelos desaparecidos, como aeronaves e embarcações.

Além das equipes de busca oficiais, diversos voluntários indígenas realizaram esforços independentes para encontrar os dois homens. 

A situação causa mais estranhamento quando se leva em conta que Brunofoi descrito como um "experiente e profundo conhecedor da região, pois foi Coordenador Regional da Funai de Atalaia do Norte por anos", de acordo com a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja).

Corpos encontrados?

Após dias de espera, a Polícia Federal brasileira teria encontrado os corpos dos dois, segundo divulgado pela esposa de Dom Phillips, Alessandra Sampaio, e repercutido pelo g1. O próximo passo, nesse cenário, seria a realização de autópsias para entender o que exatamente aconteceu com os dois. 

Por outro lado, é preciso destacar que a localização dos corpos não foi confirmada pela associação indígena da Univaja, e ainda foi negada pela PF através de uma nota ao público, criando uma situação de incerteza. 

"O Comitê de crise, coordenado pela Polícia Federal/AM, informa que, não procedem as informações que estão sendo divulgadas a respeito de terem sido encontrados os corpos do Sr. Bruno Pereira e do Sr. Dom Phillips. Conforme já divulgado, foram encontrados materiais biológicos que estão sendo periciados e os pertences pessoais dos desaparecidos. Tão logo haja o encontro, a família e os veículos de comunicação serão imediatamente informados", dizia a mensagem, ainda de acordo com o g1. 

Investigação

A PF atualmente empreende uma investigação criminal do caso, tendo realizado na semana passada a prisão preventiva de Amarildo da Costa Silveira, morador da região e considerado o principal suspeito de estar envolvido no desaparecimento do jornalista britânico e do indigenista após ter realizado ameaças aos povos indígenas do Vale do Javari. 

"Enfatizamos que na semana do desaparecimento, conforme relatos dos colaboradores da Univaja, a equipe recebeu ameaças em campo. A ameaça não foi a primeira, outras já vinham sendo feitas a demais membros da equipe técnica da Univaja, além de outros relatos já oficializados para a Policia Federal, ao Ministério Público Federal em Tabatinga, ao Conselho nacional de Direitos Humanos e ao Indigenous Peoples Rights International", apontou a Univaja em nota.