Notícias » China

Crítico do governo chinês, magnata é condenado a 18 anos de prisão

Além de Sun Daw, outras 19 pessoas de seu entorno foram presas em novembro do ano passado, após uma disputa com uma empresa estatal. Entenda!

Fabio Previdelli Publicado em 28/07/2021, às 11h08

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

De acordo com informações da AFP, Sun Daw, magnata do setor agrícola, foi condenado a 18 anos de prisão pela Justiça da China. A agência de notícias informou que o empresário foi levado a prisão por uma série de crimes, o que inclui “causar problemas” — termo que seria usado contra opositores do governo.  

Além disso, o tribunal de Gaobeidian, que fica próximo da capital, julgou que Daw é culpado também por “reunir uma multidão para atacar órgãos do Estado”, “exploração mineral ilegal”, “obstruir administração do governo” e “ocupação ilegal de terras agrícolas”. 

Fora o tempo que ficará preso, o magnata também terá que pagar uma multa de 3,11 milhões de iuanes, o que representa pouco mais de R$2,45 milhões.

Sun e outras 19 pessoas de seu círculo foram presas em novembro do ano passado, após o envolvimento de sua companhia em uma disputa de terras com uma empresa estatal. 

O magnata começou a construir seu império nos anos 1980, diz a AFP, quando junto de sua esposa entrou no ramo da criação de porcos e frangos. Seu nome já havia entrado em evidência em 2019, quando denunciou o surto de gripe suína que afetou o país.  

De acordo com seus advogados, o julgamento começou na quinta-feira da semana passada, sendo executado em segredo, o que foi denunciado por sua equipe em um comunicado, que diz que a realização de tal maneira “viola as diretrizes gerais e não garante os direitos de defesa do acusado”. 

Como explica a agência de notícias, Sun Daw já havia sido condenado em 2003 por “financiamento ilegal”, porém sua pena foi retirada devido a uma enorme onda de apoio popular e de organizações que defendem os Direitos Humanos.