Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Nosso Lar 2

Diretor de 'Nosso Lar 2' fala sobre espiritualidade em filme: 'É muito brasileiro'

Em uma entrevista exclusiva ao Aventuras na História, o diretor Wagner de Assis fala sobre a temática espírita em filmes brasileiros; confira!

Isabelly de Lima Publicado em 18/01/2024, às 12h51

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Cena do filme 'Nosso Lar 2 - Os Mensageiros' - Divulgação / 20th Century Studio
Cena do filme 'Nosso Lar 2 - Os Mensageiros' - Divulgação / 20th Century Studio

No próximo dia 25 irá estrear nos cinemas de todo o Brasil o filme 'Nosso Lar 2', sequência de 'Nosso Lar', de 2010, dando continuidade ao legado do médiumChico Xavier. Agora, a história é um pouco diferente do enredo do anterior, mas a temática espírita continua sendo o ponto de partida da trama.

Na continuação, o enredo se desenrola em uma cidade astral, um ambiente onde espíritos buscam aprendizado e sabedoria. No novo filme, André Luiz (interpretado por Renato Prieto) integra um grupo espiritual liderado por Aniceto (papel de Edson Celulari), cuja missão é atuar como mensageiros.

A tarefa que lhes é designada envolve uma jornada à Terra para acompanhar uma missão que enfrenta o risco iminente de falha. O objetivo central é estabelecer uma conexão entre o mundo espiritual e o plano terreno, de acordo com a sinopse.

Em uma entrevista exclusiva ao Aventuras na História, o diretor do filme, Wagner de Assis comentou acerca de sua relação com filmes relacionados à religião: "Eu não faço filmes espíritas, eu faço filmes que tenham conteúdo que estejam correlacionados com a doutrina espírita. É bem sutil, mas ao mesmo tempo mostra a seriedade com que a gente trata as duas questões".

Espiritualidade no Brasil

De acordo com o diretor, o filme em questão é importante por representar a espiritualidade, um assunto comum no Brasil, ainda que em diferentes nichos e com diferentes focos de intensidade. "O conteúdo de boa vontade, o conteúdo das boas histórias, isso eu acho que é muito brasileiro, de certa forma", completou.

O diretor ainda comentou sobre a popularidade do tema em todo o mundo:

A cinebiografia do Kardec está presente em mais de 180 países através do streaming, e eu recebo de várias, dezenas de países já, ao longo desses últimos anos, feedback muito bacana sobre gostei do filme, não conhecia a história, inclusive da França, ou seja, o conteúdo é passível de ser adaptado, podemos fazer histórias originais, porque se você vivencia esse mundo [...], não é uma doutrina espírita, mas é uma história original, então isso me coloca num lugar de olhar com muita positividade, assim, para o futuro, do presente para o futuro, os projetos que a gente vai fazer".

Confira a entrevista completa no vídeo abaixo:

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!