Notícias » Paleontologia

Durante obras em pedágio, em São Paulo, trabalhadores encontram fósseis de dinossauros

Fragmentos de titanossauros e de abelissaurídeos estão entre os achados. Confira galeria com imagens!

Fabio Previdelli Publicado em 17/04/2021, às 10h25

Parte de mandíbula de um Peirosauridae
Parte de mandíbula de um Peirosauridae - Dentes de crocodiliformes / Crédito: Divulgação/ Eixo SP

Durante a construção de um pedágio no km 693 da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), no trecho entre as cidades de Irapuru e Pacamebu, ambas em São Paulo, funcionários encontraram algo inusitado enquanto faziam a escavação de uma galeria de escoamento de água da chuva: fragmentos ósseos de dinossauros e outros seres pré-históricos. 

A descoberta aconteceu a uma profundida de 20 metros em relação a superfície do solo. Com isso, as obras foram imediatamente paralisadas para que especialistas explorassem o local. Durante pouco mais de duas semanas, o paleontólogo Fabiano Vidoi Iori e o biólogo Leonardo Paschoa trabalharam no local.  

Pesquisadores trabalhando no local/ Crédito: Divulgação/ Eixo SP

 

Neste período, os especialistas, que são pesquisadores do Museu de Paleontologia Pedro Candolo, que fica na cidade paulista de Uchoa, a 300 quilômetros do local, encontraram diversos fragmentos fósseis

Entre os achados estão ossos de titanossauros — que são herbívoros conhecidos por seus longos pescoços e por alcançarem cerca de 20 metros — e dentes de abelissaurídeos, que são bípedes pertencentes a família dos família de ceratossauros terópodes, que podiam chegar até 9 metros de comprimento. 

Costela cervical de um dinossauro terópode/ Crédito: Divulgação/ Eixo SP

 

Além disso, com os fragmentos que foram retirados do local, os pesquisadores acreditam que, durante o Período Cretáceo, entre 145 e 65 milhões de anos atrás, o local era formado por diversos rios e lagos.  

A descoberta também inclui fragmentos de uma fauna que viveu há 85 milhões de anos, como dentes, escamas e osso de crocodiliformes; escamas de peixes; o esqueleto e restos de cascos de cágados.  

Vértebra de saurópode/ Crédito: Divulgação/ Eixo SP

 

“Dentre os fósseis coletados, temos peças bem importantes, em especial, os fragmentos cranianos, que vão permitir investigar mais a fundo se as espécies descobertas são inéditas ou já catalogadas na região”, declarou Vidoi em entrevista ao G1. 

Confira mais imagens:

Parte de um osso/ Crédito: Divulgação/ Eixo SP

 

Excrementos fossilizados/ Crédito: Divulgação/ Eixo SP

 

Fragmento de uma tartaruga / Crédito: Divulgação/ Eixo SP

 

Membro de um dinossauro saurópode / Crédito: Divulgação/ Eixo SP

 

Dentes de crocodiliformes / Crédito: Divulgação/ Eixo SP