Notícias » Estados Unidos

“Ele cometeu alguns assassinatos, mas eu entendo os riscos”, diz noiva de assassino nos EUA

Tracy Bottomley disse que futuro marido, que está cumprindo prisão perpétua por dois homicídios, não a assusta e que ainda o ama

Isabela Barreiros Publicado em 09/11/2020, às 15h18

Tracy Bottomley, noiva de Ernest Otto Smith
Tracy Bottomley, noiva de Ernest Otto Smith - Divulgação - Twitter

Tracy Bottomley, de 42 anos, e Ernest Otto Smith, de 53, estão noivos há mais ou menos um ano. No entanto, o que difere este de outros casais comuns é que Smith está cumprindo prisão perpétua nos Estados Unidos por dois assassinatos cometidos em 2005.  As informações são do jornal Daily Mirror.

Bottomley sabe muito bem no que está se metendo. Em entrevista, ela afirmou que sabe dos crimes cometidos pelo noivo e que, mesmo assim, continua apaixonada por ele. A mulher foi pedida em casamento por ele em maio do ano passado, por meio de uma mensagem de voz.

"Ernest não me assusta. Nunca fui uma pessoa que se assusta facilmente. Ele cometeu alguns assassinatos, mas eu entendo os riscos do que pode acontecer e ainda o amo", disse a mulher.

Em 2005, Smithmatou a tiros um homem de nome James Dillingham, na cidade de Toledo, nos EUA. Apenas cinco dias depois, ele matou sua ex-namorada, Cathy Barnett, com um galho de árvore enquanto fugia da polícia. 

Preso em 2006 pelo primeiro crime, ele confessou dez anos depois o segundo assassinato, o que o rendeu a condenação de prisão perpétua. O homem está preso desde então na Penitenciária Estadual de Ohio. 

Para a noiva de Smith, os crimes foram "influenciados por uma infância conturbada, que o levou a usar drogas para combater a depressão e a ansiedade". Os dois se conheceram por meio de uma postagem de um colega de prisão em 2018, e eles passaram a trocar e-mails frequentemente.