Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Asteroide

Em setembro, uma astronave pode colidir com um asteroide que 'ameaça a Terra'

Asteroide transita por órbita 'próxima' do planeta e deve ser destruído para evitar ameaças

Redação Publicado em 01/07/2022, às 10h07

Simulação de impacto feita por instituto autorizado da NASA - Divulgação/ Youtube Canal Science X: Phys.org, Medical Xpress, Tech Xplore 383 inscritos
Simulação de impacto feita por instituto autorizado da NASA - Divulgação/ Youtube Canal Science X: Phys.org, Medical Xpress, Tech Xplore 383 inscritos

Um pequeno asteroide chamado Dimorphos apresenta um grau de preocupação para os cientistas pela chance de colidir com a Terra no futuro. Por isso, em setembro, a NASA irá liderar o lançamento de uma astronave chamada DART (Teste de redirecionamento de asteroide duplo, na sigla em inglês), que vai de encontro com o artefato espacial, empurrando-o para fora da sua perigosa órbita atual.

Segundo a apuração do portal Yahoo, a ação tende a ser mais violenta do que o esperado. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Berna e do Centro Nacional de Competência em Pesquisa (NCCR) PlanetS, é indicado que o teste pode deformar o Dimorphos de forma bastante drástica.

“Ao contrário do que se pode imaginar quando pensamos em um asteroide, o Dimorphos pode ter uma estrutura interna muito solta, como uma pilha de escombros, unida por interações gravitacionais e pequenas forças coesivas”, diz Sabina Raducan, principal autora do estudo, em um trecho da publicação do vídeo de simulação da ação da NASA.

A afirmação contraria as teses anteriores da DART, que assumiam que o corpo celeste possuía uma estrutura interna mais sólida. “Isto pode mudar drasticamente o resultado da colisão, que está programada para acontecer em setembro”, alega Raducan.

Em um vídeo feito pelo instituto Science X: Phys.org, Medical Xpress, Tech Xplore, foi exemplificado como a ação será feito através de uma simulação 3D.

Consequências esperadas

O impacto da astronave a uma velocidade de 14 mil km/h pode deformar completamente o asteroide. Essa parte deixa os pesquisadores intrigados, pois a quantidade de materiais ejetada será muito maior do que o esperado e pode ajudar na formação de outros pequenos asteroides.

No estudo ainda é dito que em 2024, a Agência Espacial Europeia enviará uma sonda espacial para o asteroide, de forma a investigar, visualmente, as consequências do impacto da DART.

Você pode conferir o artigo completo neste link.