Notícias » Arqueologia

Estátua de tartaruga encontrada no Cambodja está ligada a rituais hindús, afirmam arqueólogos

De acordo com o especialista Chea Socheat, a descoberta demanda um estudo profundo, já que não foi possível determinar a qual período pertence

Nicoli Raveli Publicado em 07/05/2020, às 15h00 - Atualizado às 17h00

Estátua da tartaruga encontrada em no fundo do então lago de Angkor Wat
Estátua da tartaruga encontrada em no fundo do então lago de Angkor Wat - Divulgação

Em Cambodja, arqueólogos da Autoridade Nacional de Apsara (ANA), fizeram uma grande descoberta. Durante uma expedição no fundo do então lago de Angkor Wat – um templo em Siem Reap - os especialistas encontraram uma estátua de uma tartaruga de arenito antigo, que acredita-se ter sido uma oferta espiritual ao deus do hinduísmo, Vishnu.

Durante a análise da descoberta, os pesquisadores notaram que a concha da tartaruga apresentava um retângulo no topo, como se alguém tivesse tirado aquela parte para inserir um suposto tesouro. Até o momento, não se sabe o que há dentro da estátua.

“Em descobertas anteriores no templo de Neak Pean, os pesquisadores encontraram uma escultura de tartaruga semelhante, mas era menor que esta”, disse o arqueólogo Chea Socheat.

Ele ainda afirmou que, desde o início da escavação, o grupo já abriu diversos poços com cerca de 15 metros. Lá, foram encontrados vestígios que foram supostamente utilizados para a construção do templo em Siem Reap.

Além disso, também foram encontradas pedras de cristais e uma espécie de um arpão com três pontas. Para os arqueólogos, todos esses objetos eram usados na rotina dos povos antigos.

Segundo Socheat, a descoberta da tartaruga e dos artefatos demanda um estudo mais aprofundado e fornecerá diversas informações sobre a história dos templos de Angkor. Até o momento, os especialistas não conseguiram datar o período dos objetos.

“Os resultados serão mais claros após o término do trabalho de pesquisa. Se não houver interrupções durante a escavação, esperamos concluir nosso trabalho dentro de seis semanas a partir de 27 de março”, afirmou Sothin.