Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / CIA

Ex-funcionário da CIA é condenado nos EUA por vazar documentos confidenciais

Joshua Schulte foi sentenciado a quatro décadas atrás das grades por conta do vazamento de informações secretas, que ocorreu em 2016

Ingredi Brunato Publicado em 02/02/2024, às 09h30

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotografia de Joshua Schulte - Divulgação/ Redes Sociais
Fotografia de Joshua Schulte - Divulgação/ Redes Sociais

Joshua Schulte é um ex-funcionário da CIA — um órgão de inteligência estrangeira pertencente ao governo dos Estados Unidos — que foi sentenciado na última quinta-feira, 1, por um tribunal de Nova York. 

Após ser considerado culpado de realizar o maior vazamento de documentos confidenciais da história da entidade, o homem recebeu uma pena de 40 anos atrás das grades. 

O episódio pelo qual Schulte foi considerado culpado ocorreu em 2016, quando o estadunidense vazou diversas informações secretas de defesa nacional ao site WikiLeaks. 

Joshua Schultetraiu o seu país ao cometer alguns dos crimes de espionagem mais descarados e hediondos da história americana. Ele causou danos incalculáveis ​​à nossa segurança nacional na sua busca de vingança contra a CIA pela sua resposta às violações de segurança de Schulte enquanto trabalhava lá", afirmou Damian Williams, procurador envolvido no caso, em um comunicado repercutido pela CNN. 

Histórico 

É relevante mencionar que o réu, que trabalhava na CIA como programador, já foi julgado pelos seus crimes no ano de 2020. Na época, porém, o julgamento terminou com um júri empatado. 

O WikiLeaks divulgou ao público em 2017 as informações vazadas por Schulte, afirmando que as havia recebido de uma fonte anônima interessada em colocar em questão se o órgão de inteligência estadunidense não havia ido muito longe com suas ferramentas de hacking. 

Outro detalhe importante é que o norte-americano, além de ser processado criminalmente pelo vazamento, foi indiciado por posse de pornografia infantil. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!