Notícias » Ciência

Excrementos encontrados em 'banheiros' históricos revelam mudanças alimentares desde o século 15

Os pesquisadores perceberam que essas transformações podem ter encadeado doenças como intestino irritável, alergias e obesidade

Isabela Barreiros Publicado em 05/10/2020, às 13h38

Uma das latrinas analisadas pelos pesquisadores
Uma das latrinas analisadas pelos pesquisadores - Divulgação/Uldis Kaljis

Um novo estudo publicado na revista científica Philosophical Transactions da Royal Society B. investigou os depósitos de duas latrinas históricas localizadas tanto em Jerusalém quanto em Riga, capital da Letônia. A partir dos resultados, os pesquisadores puderam identificar mudanças na dieta dessas pessoas.

Os excrementos de 500 anos revelaram as transformações na alimentação dos indivíduos desde o século 15. Doenças como intestino irritável, alergias e obesidade foram reveladas com a análise das bactérias intestinais dos tempos pré-industriais.

Análise das bactérias / Crédito: Divulgação/Max Planc

 

"Se quisermos determinar o que constitui um microbioma saudável para as pessoas modernas, devemos começar a examinar os microbiomas de nossos ancestrais", explicou Piers Mitchell, principal autor do artigo e antropólogo biológico da Universidade de Cambridge.

Segundo o pesquisador, “essas latrinas nos deram informações muito mais representativas sobre a população pré-industrial mais ampla dessas regiões do que uma amostra fecal individual teria”. O estudo poderá oferecer mais informações importantes para que os cientistas possam entender melhor a saúde gastrointestinal dessas pessoas.

“Combinar evidências de microscopia de luz e análise de DNA antigo nos permite identificar a incrível variedade de organismos presentes nos intestinos de nossos ancestrais que viveram há séculos”, afirmou Mitchell.