Notícias » Religião

Fim do mistério papal? arcebispo explica motivo da renúncia de Bento XVI

Georg Gänswein, secretário do papa emérito, falou sobre o caso durante um congresso na Áustria

Fabio Previdelli Publicado em 07/04/2021, às 11h51

Papa Bento XVI, em Roma, na Itália
Papa Bento XVI, em Roma, na Itália - Getty Images

Após oito anos, um mistério que permeava a Igreja Católica pode enfim ter sido revelado: afinal, por qual motivo o agora Papa emérito Bento XVI renunciou? Em um congresso psiquiátrico austríaco, o arcebispo Georg Gänswein, secretário de Bento, comentou sobre o assunto. 

“Parecia para ele [Bento] e para mim, posso confessar aqui, que ele tinha apenas alguns meses de vida, mas não oito anos”, explicou. A declaração foi revelada pelo jornal alemão Die Tagepost e repercutida pelo UOL. 

Porém, como o próprio tempo mostrou, Georg disse que “tudo mudou”, principalmente após a renúncia. Além disso, o religioso também comentou a atual situação do Papa emérito, dizendo que Bento XVI, agora com 93 anos, vive bem e que, inclusive, já foi vacinado contra a Covid-19. 

Apesar disso, o Papa emérito se demonstra preocupado com o avanço da pandemia e com os “efeitos colaterais” que ela pode causar, como os danos psicológicos causados pelo confinamento e pelas restrições necessárias para impedir a disseminação do vírus. Georg ainda disse que Bento XVI pensa ser essencial discutir assuntos, como por exemplo, os “números alarmantes de suicídios”. 

Outro assunto polêmico comentado pelo secretário é que Bento também se preocupa com as “sérias dissidências” dentro da própria igreja causada entre os mais “conservadores” e os chamados “progressistas”. 

Ele admitiu que essa diferença vem aumentando nos últimos anos e ainda afirmou que a igreja é composta de “santos e criminosos” e que, nem sempre, o segundo grupo consegue ser reconhecido, usando de exemplo a relação entre o Papa João Paulo II e o padre Marcial Maciel — que foi declarado culpado por diversos casos de abuso.