Notícias » Arqueologia

Pescadores encontram casco de tatu gigante extinto há mais de 10 mil anos

A descoberta foi feita na Argentina e pertence a Idade do Gelo

Victória Gearini Publicado em 02/10/2019, às 17h15

Casco de um glyptodont encontrado na Argetina
Casco de um glyptodont encontrado na Argetina - Rupty

Um grupo de pescadores argentinos encontrou às margens do riacho Alegre o casco de um animal parecido com um tatu, que foi extinto há mais de 10 mil anos. Pertencente à espécie glyptodont, o bicho vagou pela América do Sul durante a Idade do Gelo.

A descoberta foi feita nas areias do Barrio La Flecha, em Ezeiza, Argentina. O pesquisador da Reserva Paleontológica Marcos Paz, Oscar Vique disse que o resto do animal se manteve bem preservado durante os anos e a casca permaneceu 98% intacta.

O animal chamado glyptodon, pertence a uma espécie de glyptodont e se parece com um tatu. Esta é a segunda vez que restos deste animal são encontrados na região.

Reconstituição de um glyptodon / Crédito:Reprodução

 

O curador do Departamento de Mamíferos do Museu Americano de História Natural, Dr. Ross MacPhee disse em entrevista ao MailOnline que a descoberta é rara e significativa para a História. 

Já o professor do Museu de História Natural de Londres, Adrian Lister, disse que é comum encontrar fósseis enterrados na margem de córregos e rios, por causa de questões geográficas. Ele disse ainda que estas criaturas eram enormes e foram extintas durante a Idade do Gelo, cerca de 10 mil anos atrás.