Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / África do Sul

Homem bota fogo em cadáver para esconder crime e causa incêndio com 76 mortes

Caso aconteceu no ano passado em Joanesburgo, na África do Sul; agora, sujeito enfrenta 76 acusações de homicídio, 120 de tentativa e uma por incêndio criminoso

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 24/01/2024, às 13h59

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Incêndio em prédio em Joanesburgo - Reprodução/Video/SBT
Incêndio em prédio em Joanesburgo - Reprodução/Video/SBT

Na África do Sul, um homem foi preso por assumir que iniciou um incêndio que matou 76 pessoas no ano passado. Segundo o sujeito, o fogo foi causado para se livrar do corpo de uma pessoa que ele havia estrangulado

+ Incêndio que matou 19 estudantes teria sido causado por aluna que teve celular confiscado

A confissão, chocante e um tanto quanto inesperada, aconteceu enquanto o homem testemunhava em um inquérito que investigava as causas do fogo. O incêndio, que ocorreu em agosto em um edifício no centro de Joanesburgo, foi considerado um dos piores desastres do país. 

Sem ter a identidade revelada, o homem disse no inquérito que matou o outro sujeito após espancá-lo e estrangulá-lo. Então, ele jogou gasolina em seu corpo e ateou fogo com um fósforo. Ele ainda testemunhou que é usuário de droga e foi orientado a cometer o crime por um traficante que morava no prédio. 

Agora detido, o homem de 29 anos enfrenta 76 acusações de homicídio, 120 acusações de tentativa de homicídio e uma acusação de incêndio criminoso, segundo a polícia relatou em um comunicado. O incêndio destruiu um prédio de cinco andares, deixando cerca de 80 feridos.

Problema social

Conforme repercutiu o The Guardian, o que, além disso, chama a atenção no caso é um problema de longa data em Joanesburgo chamado de 'edifícios sequestrados'; que são estruturas degradadas abandonadas pelas autoridades e que acabam ocupadas por invasores. 

O prédio em questão é de propriedade da cidade, mas estava nesta condição. Segundo o sujeito que incendiou o local, a construção era um refúgio da criminalidade, sendo gerido por traficantes. 

A situação ficou ainda pior, como relatou os serviços de emergência da época, pelo fato de que as escadas de incêndio estavam trancadas ou acorrentadas naquela noite. Assim, muitas pessoas saltaram das janelas, algumas de até do terceiro andar, para escapar do fogo. 

Além disso, muitas mulheres jogaram seus bebês e crianças na esperança de que eles fossem seguros pelas pessoas que estavam na parte de baixo do edifício, maspelo menos 12 crianças morreram na ação.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!