Notícias » Coronavírus

Homem que vive em caverna na Sérvia se vacina contra covid-19 e incentiva outras pessoas

Há quase 20 anos em isolamento, o eremita recebeu seu imunizante contra Covid-19 assim que foi possível

Luíza Feniar Migliosi Publicado em 02/09/2021, às 15h43

O eremita Panta Petrovic em sua caverna na Sérvia
O eremita Panta Petrovic em sua caverna na Sérvia - Divulgação/Youtube

Panta Petrovic começou a viver em isolamento social há quase 20 anos. Na Sérvia, ele decidiu se mudar para uma pequena caverna na tentativa de evitar qualquer contato com a sociedade.

Em uma visita à cidade, no ano passado, Panta, de 70 anos, teve consciência da pandemia. Ele decidiu se vacinar assim que soube que da campanha de imunização contra a Covid-19 e fez um apelo para que todos façam o mesmo.  

Segundo Petrovic, o coronavírus "não escolhe, também vai chegar aqui, na minha caverna", em entrevista à agência France Presse na montanha de Stara Planina, Sul da Sérvia, que se isola depois de uma subida íngreme.

A caverna tem um banheiro improvisado, composto por uma banheira enferrujada, alguns bancos e um fardo de ferro como cama. O homem é de uma cidade vizinha de Pirot, onde trabalhava como peão no mercado clandestino, assim como fez no exterior por um tempo. Panta se casou várias vezes e tinha um estilo de vida considerado frenético.

"Eu não era livre na cidade. Sempre tem alguém no teu caminho, você discute com a esposa, os vizinhos, ou a polícia", explicou Petrovic à AFP. "Aqui ninguém me incomoda", acrescentou.

Após lobos matarem alguns dos animais que ficavam perto da caverna, Petrovic decidiu levá-los para uma cabana que construiu nos arredores da cidade. A medida de segurança fez com que visitasse mais vezes a cidade.

O eremita recebe assistência social e, inclusive, depende de doações de alimentos e suprimentos para os animais. Antes de se mudar para a caverna, Panta doou todo dinheiro que possuía para financiar a construção de três pontes na cidade. "O dinheiro é uma maldição, estraga as pessoas. Acredito que nada corrompe as pessoas tanto quanto o dinheiro", afirmou.

Petrovic ainda acrescentou que não entende as queixas dos céticos e acredita em um processo para acabar com as doenças. "Quero receber as três doses, incluindo a adicional. Peço a todos os cidadãos que se vacinem, cada um deles", finalizou.