Notícias » Alemanha

Igreja em que Martinho Lutero pregava tem autorização para manter escultura antissemita

A obra, presente na Igreja de Santa Maria desde 1305, teve o pedido de sua retirada feito pela comunidade judaica local

Daniela Bazi Publicado em 05/02/2020, às 10h26

Igreja de Santa Maria, em Wittenberg
Igreja de Santa Maria, em Wittenberg - Wikimedia Commons

O Tribunal da Saxônia-Anhalt, na Alemanha, decidiu que a Igreja de Santa Maria, localizada na cidade de Wittenberg, onde Martinho Lutero costumava pregar poderá manter a escultura medieval antissemita chamada de Judensau, termo que significa “porca judia”, criada no ano de 1305.

A escultura mostra pessoas judias sugando as tetas de uma porca, enquanto um rabino levanta seu rabo. Michael Düllmann, membro da comunidade judaica da região levou o caso à Justiça alemã, argumentando que o monumento seria "uma difamação e um insulto ao povo judeu".

O argumento utilizado pelo tribunal é de que por estar presente em um edifício antigo e que faz parte do Patrimônio Mundial da Unesco, ela não poderia ser retirada da igreja.

Michael afirmou que está decepcionado com a decisão, mas feliz por inicar o debate da Igreja Protestante da Alemanha. Ele disse que continuará a correr atrás da retirada da escultura, e que irá recorrer ao Tribunal Constitucional Federal da Alemanha.