Notícias » Itália

Itália suspende criação de visons, após diversos animais apresentarem uma nova mutação do coronavírus

A situação da espécie preocupa autoridades e gera polêmica entre ativistas, sabe-se que na Dinamarca milhões de visons já foram sacrificados

Redação Publicado em 23/11/2020, às 11h44

Fotografia de um vison
Fotografia de um vison - Wikimedia Commons

Em anúncio recente, o ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, afirmou que está proibida a criação de visons no país pelo menos até fevereiro de 2021, a decisão se dá após a detecção de mutações do novo coronavírus em animais dessa espécie na Dinamarca. As informações são da agência de notícias ANSA e foram divulgadas pelo UOL.

De acordo com a publicação, a medida irá durar até uma nova inspeção sobre a situação do animal. Sabe-se que os visons são criados em fazendas para a produção de peças a partir de seus pelos, a criação dessa espécie na Itália é menor se comparada a outros países europeus, mas, as autoridades reforçaram a necessidade desse protocolo.

“A medida coloca a infecção da Sars-CoV-2 nos visons de criação no elenco das doenças infecciosas e difusas nos animais sujeitas ao provimento sanitário segundo o Regulamento da Polícia Veterinária [...] as autoridades locais podem fazer o sequestro da criação e o bloqueio da movimentação dos animais”, diz o comunicado.

Caso os bichos sejam detectados com o novo vírus, é permitido que eles sejam abatidos. Na Dinamarca, cinco mutações do novo coronavírus foram detectadas em visons, temendo que o problema prejudique a eficácia de uma vacina, as autoridades dinamarquesas estão sacrificando mais de 15 milhões de visons no país.