Notícias » Crimes

"Justiceiros da Fronteira” matam casal com mais de 35 tiros na divisa do Paraguai

Na cabeça de uma das vítimas, o grupo deixou um bilhete com a seguinte mensagem: “Favor não roubar”; polícia investiga o duplo homicídio

Fabio Previdelli Publicado em 28/07/2021, às 11h52

Imagem ilustrativa de arma
Imagem ilustrativa de arma - Divulgação/Pixabay/Skitterphoto

Na última segunda-feira, 26, o assassinato de um casal na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, que fica perto da fronteira brasileira de Ponta Porã (MS), alertou as autoridades do país, não só pela brutalidade dos crimes, como também por um detalhe inusitado. As informações são do G1. 

[Colocar ALT]
Bilhete deixado pelos 'Justiçeiros da Fronteira' / Crédito: Divulgação/Polícia do Paraguai

Afinal, preso a cabeça de Mateo Martínez Armoa, de 21 anos, que foi executado com pelo menos 36 tiros, estava um bilhete assinado pelos “Justiceiros da Fronteira” contendo a seguinte mensagem: “Favor não roubar”. 

A outra vítima dessa história, Anabel Centurion Mancuelo, de 22 anos, chegou a ser levada até um hospital particular da cidade, mas acabou não resistindo aos ferimentos. Ela faleceu na madrugada de ontem, 27. 

De acordo com a polícia local, horas antes do crime, o casal teria ido até um bar celebrar o aniversário de Anabel.

As autoridades acreditam que o objetivo do grupo era matar apenas Mateo, já que ele foi alvejado pelo maior número de balas e morreu na hora.

Mancuelo pode ter sido morta como consequência da execução. 

A polícia do Paraguai informou que o jovem tinha antecedentes criminais, o que pode significar que sua morte esteja relacionada a participação de facções criminosas. O caso continua sendo investigado. Não há registros de que Anabel também tenha participação em crimes.