Notícias » Paleontologia

Lhamas 'mumificadas' e sacrificadas pela civilização inca são encontradas no Peru

Foi a primeira vez que uma descoberta do tipo foi feita na região, revelando mais detalhes sobre os rituais feitos há 500 anos

Isabela Barreiros Publicado em 22/10/2020, às 09h44

Lhama mumificada descoberta no Peru
Lhama mumificada descoberta no Peru - Divulgação/Antiquity

Um novo estudo publicado na revista científica Antiquity descreve, pela primeira vez, a descoberta de quatro lhamas naturalmente mumificadas que foram usadas como sacrifícios para os deuses, pela civilização Inca. As escavações realizadas por arqueólogos da Universidad de Huamanga foram feitas em Tambo Viejo, um centro administrativo inca.

Segundo a datação por radiocarbono realizada nos animais, eles foram mortos no período entre os anos 1432 e 1459 d.C., momento em que as terras foram anexadas ao território inca. O ritual de sacrifício, portanto, aconteceu há mais de 500 anos, o que faz com que o estado de conservação dos corpos seja ainda mais impressionante.

Crédito: Divulgação/Antiquity 

 

“Registros históricos indicam que os sacrifícios de animais eram importantes para os incas, que os usavam como oferendas especiais para divindades sobrenaturais. Esse foi especialmente o caso das lhamas, consideradas perdendo apenas para os humanos em valor de sacrifício”, explicou Lidio Valdez, da Universidade de Calgary, que se juntou com os pesquisadores da outra universidade para a realização do estudo.

O especialista afirma que as lhamas eram usadas de maneira muito peculiar, sendo sacrificadas até mesmo para garantir boas colheitas, vitórias nas guerras travadas, rebanhos com saúde e, ainda, domar a população de territórios pré-conquistados. 

“As ofertas provavelmente faziam parte de festas e encontros muito maiores, patrocinados pelo estado. O estado fez amizade com a população local com comida e bebida, cimentando alianças políticas, enquanto colocava ofertas que permitiam aos incas reivindicar a terra como sua”, disse Valdez.

A descoberta dá novas evidências sobre o uso do ritualismo inca, em que lhamas foram decoradas com pulseiras e cordões e enterradas vivas. “Por meio dessas cerimônias, o Inca criou novas ordens, novos entendimentos e significados que ajudaram a legitimar e justificar suas ações para os conquistadores e conquistados”, escreveram os pesquisadores em seu artigo.