Notícias » África do Sul

Mais de 200 Brasileiros estão retidos na África do Sul em razão da nova variante

A nova cepa da Covid-19 'ômicron' tem preocupado a comunidade científica

Redação Publicado em 30/11/2021, às 08h19

Representação do coronavírus
Representação do coronavírus - Imagem de geralt via Pixabay

Pelo menos 200 brasileiros que deveriam deixar a África do Sul nos próximos dias se viram impedidos de voltar ao país natal em razão das medidas de contenção causadas em decorrência da nova cepa da Covid-19. A variante ômicron, como está sendo chamada, foi identificada inicialmente no país africano.

"A África do Sul ajudou a descobrir um problema que pode afetar todo o mundo e, como consequência, o país está sendo punido por isso", disse Vera Lúcia Santos, que vive em Joanesburgo com a família desde 2019.

Ela explicou à RFI que a filha de oito anos tem uma cirurgia marcada para correção de estrabismo, mas que não poderá comparecer por causa do fechamento das fronteiras.

Uma segunda brasileira, Karina Polycarpo, planejou visitar os pais no fim de ano, após ter passado mais de dois anos sem vê-los, mas ficou em choque quando soube que a viagem teria de ser adiada.

"Quando eu ouvi a notícia no rádio, logo pela manhã, meu coração 'parou'. As passagens já estão extremamente caras, todas as opções. É um investimento financeiro grande e emocional também", disse a mulher que vive há seis anos na África do Sul.

"Não é uma variante sul-africana, não se sabe onde começou. A África do Sul tem feito desde o começo dessa pandemia um trabalho maravilhoso com cientistas. Então, realmente o que o (presidente sul-africano) Cyril Ramaphosa falou ontem foi o que todos nós estamos sentindo. Nós estamos nos sentindo extremamente injustiçados", declarou.