Notícias » Mundo

Ministro da Saúde sul-africano afirma que ômicron não é motivo de pânico: 'Não é território novo'

Segundo Joe Phaahla, a variante que tem preocupado cientistas não é novidade, visto que "já estivemos aqui antes"

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 29/11/2021, às 20h00

Imagem meramente ilustrativa de Joe Phaahla, ministro da Saúde da África do Sul
Imagem meramente ilustrativa de Joe Phaahla, ministro da Saúde da África do Sul - Divulgação/ Vídeo/ eNCA

Mesmo com os avisos dados pela OMS e a cúpula do G7, durante a mais recente reunião, o ministro da saúde da África do Sul, Joe Phaahla, afirmou que não há motivo para qualquer preocupação sobre a nova variante da Covid-19.

Segundo seu discurso, o político acredita que a comunidade internacional já têm experiência o bastante para lidar com a cepa chamada de ômicron.

A variante foi detectada pela primeira vez na África do Sul e tem preocupado governos por todo o mundo, com o Japão fechando suas fronteiras para quaisquer estrangeiros e outras nações implementando restrições relacionadas a viajantes sul-africanos.

Antes da mutação que resultou na ômicron e do início de seu contágio, a África do Sul estava registrando cerca de 500 novos casos de covid-19 por dia e, apenas no último domingo, 28, registrou um aumento de mais de 2000 infectados.

Ainda assim, Phaahla afirma que “já estivemos aqui antes” e que o mundo irá passar por este novo momento de pandemia. As informações são do portal de notícias BBC.

Reafirmo que absolutamente não há necessidade de pânico, isto não é território novo para nós. Nós temos mais de vinte meses de experiência em termos de Covid-19, várias variantes e ondas", disse.