Notícias » Ásia

Nas Filipinas, grupo é preso por transportar 150 toneladas de conchas gigantes

Material é avaliado em R$140 milhões

Fabio Previdelli Publicado em 20/04/2021, às 10h58

Conchas gigantes que foram apreendidas
Conchas gigantes que foram apreendidas - Divulgação/Facebook/Guarda Costeira das Filipinas

Na última sexta-feira, 16, a polícia de Palawan, nas Filipinas, prendeu quatro suspeitos acusados de envolvimento no tráfico de mariscos fossilizados. Junto a eles, estavam mais de 150 toneladas de conchas gigantes.  

Segundo a Guarda Costeira do país, a mercadoria é avaliada em torno de 25 milhões de dólares, ou algo em torno dos R$140 milhões. Conforme informou à CNN o comandante da Guarda Costeira da região, o Comodoro Genito Basilio, este foi o maior transporte ilegal do tipo já registrado no país. 

As conchas, conhecidas nas Filipinas como “taklobo”, pertencem aos maiores moluscos bivalves do mundo, que podem chegar até 1,2 metro de comprimento e pesar cerca de 200 quilos. 

Por lá, a exploração e comércio desse tipo de produto é considerado ilegal pela Lei de Conservação e Proteção dos Recursos de Vida Selvagem.

Com isso, qualquer indivíduo que matar, vender ou destruir espécies ameaçadas nas Filipinas pode ser preso por até dois anos ou ser multado em até 2,3 milhões de reais. 

De acordo com Rosalee Tequilo, uma das suspeitas de integrar o grupo de tráfico de conchas, o gabinete do presidente filipino Rodrigo Duterte e o Escritório de Pesca e Recursos Aquáticos haviam lhe concedido permissão para coletar as ostras-gigantes. 

Porém, o Conselho de Palawan para o Desenvolvimento Sustentável (PCSD) alegou que Rosalee não conseguiu provar que tinha autorização para a prática.