Notícias » Crimes

Ninho com cerca de 115 tartarugas é atropelado no Espírito Santo

Ainda que o tráfego de veículos na Praia do Bosque fosse proibido na época, quase 90 filhotes foram mortos pelos infratores

Pamela Malva Publicado em 11/01/2021, às 12h30

Imagem meramente ilustrativa de filhote de tartaruga
Imagem meramente ilustrativa de filhote de tartaruga - Divulgação/Pixabay

Na última quarta-feira, 06, enquanto caminhava pela Praia do Bosque, no norte do Espírito Santo, o biólogo Thiago Borges levou um susto. Em entrevista ao G1, ele contou que mais de 80 filhotes de tartaruga foram atropelados e mortos ainda no ninho.

Naquela manhã, o especialista, que atua no Projeto Tamar de Guriri, foi até a praia para monitorar o ninho de tartarugas. Ao chegar no local, contudo, ele se deparou com os filhotes espalhados pela areia, logo depois de serem esmagados por carros infratores.

“Eles derrubaram a tela e a marcação e passaram com o carro por cima”, lamentou Thiago. O problema é que, durante o período de reprodução das tartarugas, que vai de outubro até março, o tráfego de veículos é proibido nas praias entre Aracruz, no norte do Espírito Santo, e o município de Itamaraju, na Bahia.

Imagens dos filhotes mortos após o atropelamento / Crédito: Divulgação/Thiago Borges

 

Por sorte, alguns dos filhotinhos conseguiram sair do ninho antes que os veículos atravessassem a região. “Quando abrimos, verificamos que 88 filhotes morreram e 27 estavam bem debilitados, mas vivos”, explicou o biólogo.

Segundo o Projeto Tamar, os filhotes sobreviventes receberam ajuda da equipe para chegaram ao mar, enquanto as tartarugas mortas foram enterradas no próprio ninho. Agora, a secretaria municipal de Meio Ambiente de São Mateus espera que a Polícia Militar encontre e aplique multas nos veículos que estão infringindo a lei.

“Como não conseguimos registrar qual carro fez isso, ninguém será responsabilizado criminalmente”, explicou Thiago. “Fica o apelo para que os motoristas se conscientizem de que é proibido o tráfego de veículos naquela área e qual é o impacto dessa ação”.