Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Anestesista

Paciente de anestesista preso tomou coquetel anti-HIV por receio de contaminação

Polícia procura por vítimas do profissional de saúde que foi preso após estupro de paciente

Redação Publicado em 14/07/2022, às 11h50

Giovanni Quintela Bezerra, preso em flagrante - Divulgação/Redes Sociais
Giovanni Quintela Bezerra, preso em flagrante - Divulgação/Redes Sociais

Uma das pacientes do médico anestesista Giovanni Quintella, preso por caso de estupro durante uma cesariana, ingeriu um coquetel anti-HIV/Aids para evitar uma possível contaminação, por sempre desconfiar de procedimentos em que a pessoa precisa ficar dopada. A informação foi apurada e divulgada pela TV Globo hoje, dia 14.

Dada a apuração do G1, ainda não é de conhecimento público a sua identidade e se ela chegou a sofrer algum tipo de abuso do profissional, porém, como forma de precaução, a mulher tomou a iniciativa de ministrar a situação do medicamento com outros profissionais da área. 

Como consequência dessa atitude, a recém-mãe não pode amamentar o seu filho nas primeiras semanas de vida.

Buscando todas as formas de conter qualquer dano ao seu corpo, a equipe jurídica da moça pediu que Giovanni fizesse o exame para saber se ele é portador do vírus HIV, mas não se sabe se o pedido foi atendido, já que o detento não é obrigado.

Sentimento difícil de superar

Durante a quarta-feira, 13, a delegada que está encaminhando as provas e apurando os relatos das vítimas dos médicos, Bárbara Lomba, conversou com a mulher que sofreu o abuso sexual que levou a prisão de Quintella em flagrante. 

Ela chorou muito. Ainda está muito abalada. A família toda está abalada”, falou a delegada para o canal Globo.