Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Europa

Por suicídio de funcionária, rede de supermercado é condenada

O caso aconteceu em abril de 2017

Fabio Previdelli Publicado em 07/02/2022, às 16h51

Imagem ilustrativa - Divulgação
Imagem ilustrativa - Divulgação

No dia 3 de abril de 2017, a funcionária do Carrefour Viviane Monier, de 46 anos — que trabalhava como recepcionista da rede de supermercados há 27 — cometeu suicídio na comuna francesa de Vollore-Ville. 

Em uma carta manuscrita, ela apontou que o clima em seu ambiente de trabalho e o assédio moral que sofria na loja foram os responsáveis por seu trágico fim. Nesta segunda-feira, 7, a multinacional foi condenada pela justiça do país. 

Desta forma, o Carrefour será obrigado a pagar uma multa de 50 mil euros (R$300 mil) por “homicídio involuntário”. O gerente da loja também foi condenado a quatro anos de prisão sob sursis por “assédio moral” e “homicídio involuntário”. Entretanto, o tribunal penal de Clermont-Ferrand absolveu o diretor da loja. 

Além da pena, a rede de supermercado também terá que exibir o resultado da ação por um mês em todas as lojas de Puy-de-Dôme, conforme relatado pela AFP. Em audiência no dia 27 de janeiro, o Ministério Público francês havia pedido que uma pena de 100 mil fosse estabelecida, além de seis meses de prisão para o gerente. 

O objetivo era conseguir uma condenação, mas há um crime de colarinho branco que causa a morte de uma funcionária e é condenado a uma multa de 50 mil euros, uma trivialidade", declarou em tom de lamentação o advogado da família da vítima, Clémence Marcelot.