Notícias » Escócia

Possível aparição de Monstro do Lago Ness teria sido registada por sonar de barco

Imagem foi feita na última quarta-feira, 30, e intriga conhecedores da região. Confira!

Fabio Previdelli Publicado em 05/10/2020, às 11h08

Imagem ilustrativa do Monstro do Lago Ness
Imagem ilustrativa do Monstro do Lago Ness - Pixabay

Na última quarta-feira, 30, uma embarcação teria registrado uma nova suposta aparição do “monstro” do Lago Ness. Segundo Ronald Mackenzie, diretor de uma empresa de passeios de barco no lago, que fica na Escócia, a aparição da criatura foi notada pelo sonar do barco.

"Foi um dia meio ruim e tínhamos apenas 12 passageiros. Estávamos na metade do caminho de Invermoriston, onde viramos. A água tem 189 m de profundidade lá. Os passageiros ficaram bastante entusiasmados porque tínhamos acabado de avistar uma águia marinha, mas então vi no sonar algo mais apelativo”, relata Ronald em entrevista ao Daily Record, que foi repercutida pelo UOL.

Trabalhando há mais de 30 anos na região, Mackenzie disse que nunca tinha avistado algo de tamanha dimensão no Lago Ness. "Ficava bem no meio do lago, a cerca de 170 metros de profundidade. [O que apareceu] Era grande — com pelo menos 10 metros. O contato durou 10 segundos enquanto passávamos. Estou no lago desde os 16 anos e nunca vi nada igual. Temos um sonar de última geração no novo barco. Não mente. Ele captura o que está lá”.

Imagem registrada pelo sonar. A área branca da foto seria o Monstro do Lago Ness/ Crédito: Divulgação

 

Entretanto, Ronald não tem certeza qual era a criatura que o sonar identificou. "Acredito que haja algo no lago que ninguém sabe o que é, seja uma enguia grande, um esturjão ou um peixe grande de algum tipo — ou mesmo Nessie”.

De acordo com Craig Wallace, especialista em sonar, a imagem é “100% genuína”, porém, ele não acredita que o registro seja da famosa criatura. "Eu acredito que haja um esturjão grande no Lago Ness. Pode ser um esturjão ou um pequeno cardume de peixes. Mas é certamente um contato fascinante e interessante e, sem dúvida, acrescenta ainda mais ao debate sobre Nessie”.