Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Europa

Presidente polonês critica diálogos com Putin: “Alguém falou assim com Adolf Hitler?”

Andrzej Duda desaprovou postura de líderes europeus ao fazer comparação com a Segunda Guerra Mundial

Fabio Previdelli Publicado em 09/06/2022, às 12h10

Caricatura que compara Putin a Hitler - Divulgação/Twitter/@Ukraine
Caricatura que compara Putin a Hitler - Divulgação/Twitter/@Ukraine

A invasão russa à Ucrânia foi iniciada em 24 de fevereiro e, quase quatro meses depois, ainda parece estar longe do fim. Após inúmeras reuniões entre representantes de ambas as nações em busca de um cessar-fogo, diversos outros líderes globais ainda tentam manter um diálogo com Vladimir Putin

Entretanto, para o presidente polonês Andrzej Duda, a disposição dos líderes europeus com o representante russo é algo contestável. Fazendo uma comparação com a Segunda Guerra Mundial, ele questionou: “Alguém falou assim com Adolf Hitler?”.

[Putin] é responsável por isso. Ele tomou a decisão de enviar as tropas para lá. Os comandantes estão sob seu comando. Alguém falou assim com Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial? Alguém disse que Adolf Hitler deve salvar sua pele? Que devemos proceder de tal forma que não seja humilhante para Adolf Hitler?", esbravejou em entrevista ao jornal alemão Bild. 

Críticas à Putin, Macron e Scholz

Duda também não poupou críticas aos diálogos que são mantidos entre Putin, o presidente francês Emmanuel Macron e o primeiro-ministro alemão Olaf Scholz. "Essas conversas não levam a nada. O que eles conseguem? Eles só legitimam uma pessoa que é responsável pelos crimes que o exército russo está cometendo na Ucrânia".

Ainda fazendo uma analogia à Segunda Guerra, o chefe de Estado polonês declarou que a Alemanha “não se importa em nada com o que acontece na Ucrânia ou na Polônia". Em sua opinião, o governo do país só tem interesse em “fazer negócios e ganhar dinheiro” através do gás natural e petróleo. 

"Talvez a economia alemã não acredite que o exército russo possa celebrar outra grande vitória em Berlim e ocupar parte da Alemanha. Nós na Polônia sabemos que isso é possível. E é por isso que não há negócios como de costume para nós. E é por isso que pedimos ao mundo e à Europa que não haja mais negócios como de costume com a Rússia", concluiu.