Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Ucrânia

Procurador-geral dos EUA faz visita à Ucrânia para investigar crimes de guerra

Uma nova força-tarefa foi criada nesta terça-feira, 21

Redação Publicado em 21/06/2022, às 20h08

Ucrânia devastada pela guerra - Getty Images
Ucrânia devastada pela guerra - Getty Images

Nesta terça-feira, 21, o Procurador-Geral dos Estados Unidos, Merrick Garland, iniciou uma visita não anunciada à Ucrânia para abordar os esforços internacionais a fim de investigar crimes de guerra cometidos pela Rússia no território ucraniano.

Garland se reuniu com a procuradora geral ucraniana, Iryna Venediktova, na passagem de Krakovets, na fronteira com a Polônia, segundo um comunicado do Departamento de Justiça dos EUA. Ainda de acordo com o comunicado, ambos discutiram "os esforços dos EUA e internacionais para ajudar a Ucrânia a identificar, capturar e processar os indivíduos implicados em crimes de guerra e atrocidades na Ucrânia”.

O Procurador-Geral anunciou a criação da "Equipe de Responsabilização por Crimes de Guerra", que será liderada pelo jurista veterano do Departamento de Justiça Eli Rosenbaum. A equipe tem como objetivo centralizar e reforçar os esforços para processar os responsáveis por crimes na Ucrânia.

Novo foco

Com a iniciativa, Washington pretende promover a investigação das violações dos direitos humanos e irá prestar assistência técnica em coleta de provas, análise jurídica, trabalho forense e processos penais, segundo o texto. A equipe irá conduzir investigações sobre possíveis crimes que se encontram sob a jurisdição dos Estados Unidos, assim como o assassinato de jornalistas americanos.

"Não há esconderijo para os criminosos de guerra. O Departamento de Justiça procurará por todos os cantos para responsabilizar os que cometem crimes de guerra e atrocidades na Ucrânia", disse Garland.

Ele também acrescentou que os EUA e seus parceiros internacionais não irão parar os esforços para levar à justiça qualquer pessoa que se encaixe em tais crimes, torturas ou outras violações que foram cometidas na Ucrânia.