Notícias » França

Promotoria da França pede que ex-presidente do país, Nicolas Sarkozy, seja preso

O político comandou a França de 2007 a 2012 e é julgado por corrupção e suborno

Penélope Coelho Publicado em 09/12/2020, às 09h41

Nicolas Sarkozy, em 2010
Nicolas Sarkozy, em 2010 - Wikimedia Commons

Na noite da última terça-feira, 8, a promotoria francesa emitiu um pedido de quatro anos de prisão — dois deles em regime fechado — para o ex-presidente do país, Nicolas Sarkozy. As informações são da agência de notícias AFP.

Segundo revelado na publicação, o político é julgado por tráfico de influência em Paris e também por corrupção. O homem que governou a França entre 2007 e 2012, agora enfrenta acusações pela tentativa de suborno a um juiz, em troca de informação privilegiada sobre outro procedimento sumário.

Com base na acusação, Sarkozy tinha o objetivo de obter informações protegidas pelo sigilo profissional, a fim de alterar os caminhos de processos da alta jurisdição que estavam relacionados a um caso encerrado no final de 2013, chamado de caso Bettencourt.

Em troca, o ex-presidente teria oferecido ao ex-juiz Gilbert Azibert, um cargo de prestígio em Mônaco, contudo, isso nunca chegou a acontecer. Sabe-se que a promotoria pediu a mesma pena do ex-presidente para os envolvidos no caso, como Azibert e o advogado de Nicolas, Thierry Herzog.

Por sua vez, Sarkozy, nega todas as acusações. O homem afirma que "nunca cometeu o menor ato de corrupção" e, além disso, disse que irá "até o fim" para limpar seu nome. O julgamento do político é inédito, pela primeira vez desde 1958, um ex-presidente do país está no banco dos réus.