Notícias » Afeganistão

Reitor afegão diz que é preciso criar "ambiente islâmico" para que mulheres voltem às universidades

Mohammad Ashraf Ghairat foi encarregado da administração da Universidade de Cabul pelo Talibã

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 28/09/2021, às 14h29

Imagem ilustrativa de meninas em sala de aula no Afeganistão
Imagem ilustrativa de meninas em sala de aula no Afeganistão - Getty Images

Mohammad Ashraf Ghairat, que foi eleito como reitor da Universidade de Cabul após a volta do Talibã, comunicou através de seu Twitter nesta terça-feira, 28, que as mulheres afegãs poderiam voltar a frequentar a instituição depois que fosse criado um "ambiente islâmico". 

Ele tem 34 anos de idade e, até onde se divulgou ao público, suas credenciais para assumir o posto se limitariam a um "diploma de bacharelado".

"Eu dou minha palavra como reitor da Universidade de Cabul. Enquanto um ambiente islâmico não for criado para todos, mulheres não poderão ir para a universidade ou trabalhar. Islã primeiro", escreveu Ghairat

Em uma outra publicação em seu Twitter, o reitor ainda disse "Faremos a Universidade de Cabul boa novamente", que copia os moldes de um slogan utilizado com frequência pelo ex-presidente dos Estados Unidos,Donald Trump, durante a campanha que precedeu sua eleição. 

O norte-americano costumava falar em "Fazer a América boa novamente", e também repetia a expressão "América primeiro", que também foi imitada pelo afegão. 

Atualmente, a instituição de ensino administrada por Mohammad, que fica na capital do Afeganistão, está contratando novos professores e dando treinamentos específicos para que eles ensinem mulheres, que segundo a doutrina do Talibã não podem frequentar as mesmas salas de aula que os homens.