Notícias » Arqueologia

Relíquia milenar: Maior tesouro anglo-saxão é descoberto na Inglaterra

131 moedas e quatro outros objetos de ouro foram encontrados por morador anônimo

Fabio Previdelli Publicado em 11/11/2021, às 14h34

Material encontrado com morado anônimo de West Norfolk
Material encontrado com morado anônimo de West Norfolk - Divulgação/Museu Britânico

Um morador de West Norfolk, na Inglaterra, foi o responsável por desenterrar o maior tesouro anglo-saxão já descoberto. O sujeito, que não quis ser identificado, encontrou 131 moedas e quatro outros objetos de ouro. Os artefatos foram recolhidos ao longo de seis anos pela pessoa, que usou um detector de metais em sua ‘missão’. 

De acordo com o jornal inglês Evening Standard, uma pequena parcela desse material foi encontrada pelo ex-policial David Cockle, que também usou um detector de metais para achá-las. No entanto, ele manteve a descoberta em sigilo e tentou negociar as 10 moedas por cerca de 20 mil dólares. 

Em 2017, Cockle foi descoberto e acabou condenado a 16 anos de prisão por “pura ganância”, conforme descreveu o juiz presidente Rupert Overbury na sentença. Oito das 10 moedas acabaram recuperadas. 

Demais artefatos descobertos/ Crédito: Divulgação/Museu Britânico

 

A maioria dos níqueis encontrados são tremisses — pequenas moedas de ouro do século 6, geralmente compostas entre 85% e 95% de ouro. Outras nove são soldos, moedas maiores introduzidas no Império Bizantino. Elas possuem três vezes o valor de um tremisse. 

Além disso, um pingente, uma barra de ouro e outros dois objetos — que especialistas desconfiam fazer parte de uma peça maior de joalheria — foram encontrados, segundo aponta o Museu Britânico. O material foi enterrado por volta de 600 d.C., antes da unificação da Inglaterra. Não se sabe o motivo do material ter sido escondido.